Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Fluxos de investimento EUA-China caem para mínima de 9 anos com aumento das tensões comerciais

17/09/2020 - 9:07
China,Eua
O investimento, tanto feito diretamente por empresas quanto fluxos de capital de risco, entre os dois países caiu 16,2% para 10,9 bilhões de dólares entre janeiro e junho (Imagem: REUTERS/Yuri Gripas)

O investimento entre os Estados Unidos e a China caiu para o menor patamar em nove anos na primeira metade de 2020, atingido por tensões bilaterais que podem ver mais empresas chinesas sob pressão para desinvestir em operações norte-americanas, segundo um relatório.

O investimento, tanto feito diretamente por empresas quanto fluxos de capital de risco, entre os dois países caiu 16,2% para 10,9 bilhões de dólares entre janeiro e junho em relação ao mesmo período do ano anterior – também afetado pela pandemia de coronavírus, de acordo com dados da consultoria Rhodium Group.

É um valor muito inferior aos totais semestrais de quase 40 bilhões de dólares vistos em 2016 e 2017.

Citando riscos à segurança nacional representados por empresas de tecnologia chinesas, o governo do presidente dos EUA, Donald Trump, expandiu drasticamente as ações para bloquear as empresas chinesas.

As medidas incluíram colocar a gigante das telecomunicações Huawei Technologies Co Ltd em uma lista de proibições, ameaçando uma ação semelhante para a Semiconductor Manufacturing International Corp e ordenando que a ByteDance, controladora do TikTok, vendesse o aplicativo de vídeos.

“Em um momento de crescente desconforto com a integração de tecnologias EUA-China, inúmeras outras empresas – tanto as empresas chinesas que operam nos EUA quanto as empresas norte-americanas com presença na China podem ser forçadas a desinvestir”, disse o relatório.

O investimento de empresas norte-americanas na China no primeiro semestre caiu 31%, para 4,1 bilhões de dólares, enquanto o investimento de empresas chinesas nos Estados Unidos aumentou 38%, para 4,7 bilhões de dólares, disse o relatório.

Isso ocorreu principalmente devido a um acordo – um consórcio liderado pela Tencent Music comprou uma participação minoritária no grupo Universal Music por 3,4 bilhões de dólares.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Rafael Borges - 17/09/2020 - 9:07