Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Futuros do minério de ferro têm nova valorização de 1,10% na bolsa de Dalian

19/02/2020 - 9:46
O contrato de maior liquidez, com entrega para maio de 2020, cedeu 15 yuans para 3.394 yuans por tonelada (Imagem: Unsplash/@geroldhinzen)

A jornada desta quarta-feira foi marcada por uma nova valorização nos preços contratos futuros do minério de ferro, que são negociados na bolsa de mercadorias da cidade chinesa de Dalian.

O ativo com o maior volume de operações, com vencimento em maio deste ano, somou 1,10% a 645,50 yuans, o que representa ganhos de 7,0 yuans em relação aos 638,50 yuans por tonelada de liquidação da véspera.

Em sentido oposto, a sessão teve perdas para as cotações dos papéis futuros do vergalhão de aço, que são transacionados na bolsa de mercadorias da também chinesa cidade de Xangai.

O contrato de maior liquidez, com entrega para maio de 2020, cedeu 15 yuans para 3.394 yuans por tonelada. Já o de outubro, segundo em volume. Caiu 29 yuans para 3.452 yuans por tonelada.

As ações em Xangai encerraram uma série de três dias positivos na quarta-feira, com preocupações sobre a epidemia de coronavírus, que já matou mais de 2.000 vidas e pesou na atividade comercial do país.

Coronavírus mata mais de 2 mil pessoas na China continental (Imagem: Reuters/Ajeng Dinar Ulfiana)

O número de mortos pelo surto de coronavírus na China continental ultrapassou 2.000 na quarta-feira, embora o número de novos casos tenha caído pelo segundo dia consecutivo, com as autoridades reforçando medidas já severas de contenção na cidade de Wuhan.

A segunda maior economia do mundo está lutando para retomar seu setor de manufatura após impor severas restrições de viagem para conter um vírus que surgiu na província central de Hubei no final do ano passado.

Os analistas da Nomura estimaram que 70% dos trabalhadores que foram para casa nos feriados prolongados ainda não retornaram às cidades para trabalhar e disseram que a taxa de retomada de negócios, com base na utilização da capacidade, era inferior a 40%, em média.

A China cortará algumas contribuições de pensão e taxas de seguro para ajudar as empresas a lidar com o coronavírus, enquanto as empresas em Hubei estão isentas do pagamento de pensões, seguro desemprego e acidentes de trabalho até junho.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Lucas Simões - 19/02/2020 - 9:48