Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Coin DTVM

Gastos em renováveis devem superar petróleo e gás, diz Goldman

17/06/2020 - 8:31
Goldman Sachs
A divergência dos juros de financiamento para projetos de alto e baixo carbono implica um preço de emissão de carbono de cerca de US$ 40 a US$ 80 por tonelada, segundo o Goldman (Imagem: REUTERS/Brendan McDermid)

Gastos em energia renovável devem superar o valor investido na exploração de petróleo e gás pela primeira vez no próximo ano, segundo o Goldman Sachs.

O banco destaca que a energia limpa oferece oportunidade de investimentos de US$ 16 trilhões até 2030.

Energias renováveis, que incluem biocombustíveis, devem responder por cerca de 25% de todos os gastos em energia em 2021 em relação aos 15% em 2014, disseram analistas do Goldman, entre eles Michele Della Vigna, em relatório de 16 de junho.

O impulso se deve em parte por custos divergentes de capital, já que os juros de empréstimos subiram até 20% para projetos de hidrocarbonetos em comparação com apenas 3% para energia limpa.

A energia limpa pode atrair investimentos em infraestrutura entre US$ 1 e US$ 2 trilhões por ano e criar de 15 a 20 milhões de empregos no mundo todo.

Já o alto custo de capital para o desenvolvimento de combustíveis fósseis reduz os investimentos, o que pode elevar os preços do petróleo e do gás e, por sua vez, estimular uma transição energética mais rápida.

“A energia renovável se tornará a maior área de gastos no setor de energia em 2021, segundo nossas estimativas, superando a exploração petróleo e gás pela primeira vez na história”, disse o Goldman.

A divergência dos juros de financiamento para projetos de alto e baixo carbono implica um preço de emissão de carbono de cerca de US$ 40 a US$ 80 por tonelada, segundo o Goldman.

No mundo real, no entanto, apenas cerca de 16% das emissões globais são precificadas, e o valor médio é de cerca de US$ 3 a tonelada.

Isso cria um modelo de investimento bifurcado, com recursos fluindo para tecnologias maduras, como energia eólica, solar e biocombustíveis, enquanto iniciativas menos desenvolvidas, como captura de carbono e hidrogênio limpo, podem sofrer um impacto sem preços de emissões mais altos, disse o Goldman.

“Um processo de descarbonização com duas velocidades pode, portanto, acelerar a descarbonização a curto prazo, mas, em última análise, atrasar o caminho a longo prazo” para zerar as emissões, avalia o banco.

Última atualização por Rafael Borges - 17/06/2020 - 8:31

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.
Cotações Crypto
Pela Web