Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Coin DTVM

Governo de SP diz ter recebido só metade da remessa prevista de vacinas da Pfizer do PNI

04/08/2021 - 13:58
Pfizer Vacinas
Autoridades de saúde do Estado afirmaram que foram surpreendidas com a redução no envio de doses nesta madrugada (Imagem: Reuters/Dado Ruvic)

O governo do Estado de São Paulo afirmou nesta quarta-feira que recebeu somente a metade do lote previsto de vacinas da Pfizer contra a Covid-19 do Programa Nacional de Imunização (PNI) e cobrou que o Ministério da Saúde encaminhe ao Estado imediatamente as 228 mil doses que afirma faltarem na remessa destinada a São Paulo.

Em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, o governador João Doria (PSDB) classificou de “maldade” a redução no envio de doses ao Estado e disse que ela pode afetar os planos de iniciar a vacinação de adolescentes em 18 de agosto, já que a vacina que será utilizada para este grupo é a da Pfizer.

“A decisão, que como governador qualifico de uma decisão arbitrária do Ministério da Saúde, representa a quebra do pacto federativo, e o governo federal, mantida essa decisão, decidiu punir quem fez o certo, quem foi eficiente na vacinação”, disse Doria, acrescentando que o governo paulista enviou ofício ao ministério nesta manhã cobrando o envio das doses.

“Com menos vacinas para São Paulo, vacinas da Pfizer, o Ministério da Saúde compromete o calendário de vacinação de crianças e adolescentes no Estado de São Paulo, previsto para começar no dia 18 de agosto.”

Autoridades de saúde do Estado afirmaram que foram surpreendidas com a redução no envio de doses nesta madrugada e que não foi dada até o momento nenhuma explicação por parte do ministério.

Doria é inimigo político do presidente Jair Bolsonaro, com quem constantemente trava bate-bocas públicos e também é um dos principais críticos à gestão federal na pandemia.

Além disso, é pré-candidato à Presidência na eleição do ano que vem, quando Bolsonaro deverá buscar a reeleição.

O governador paulista, principal incentivador do acordo entre o Instituto Butantan, vinculado ao governo de São Paulo, e o laboratório chinês Sinovac, que permitiu o início da vacinação contra Covid-19 no Brasil em janeiro deste ano com a vacina CoronaVac, tem no tema da vacina sua principal bandeira para a disputa de 2022.

O Butantan entregou até o momento 64,8 milhões de doses da CoronaVac ao PNI e promete totalizar até o final deste mês 100 milhões de doses do imunizante entregues ao ministério.

“O governo federal já fez maldades demais com o Brasil, com os brasileiros, e agora quer direcionar uma dose adicional de maldade a São Paulo. Espero que isso não se sustente e que o ministro da Saúde reveja imediatamente essa sua posição, ou a posição do seu ministério, e delibere a entrega imediata das 228 mil outras doses da vacina da Pfizer que não foram entregues a São Paulo”, disse Doria.

Procurado, o Ministério da Saúde não respondeu de imediato a um pedido de comentário sobre as declarações das autoridades paulistas.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por André Luiz - 04/08/2021 - 13:58

Cotações Crypto
Pela Web