Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Guia para temporada mais agitada de IPOs do Brasil desde 2007

28/07/2020 - 13:52
Mercados Wall Street Nasdaq
A Vasta, unidade de educação básica da Cogna, fará uma oferta na Nasdaq, podendo levar esse número a seis (Imagem: Wikimedia Commons)

Um dos países mais atingidos pela pandemia de coronavírus, o Brasil está vendo o maior número de ofertas iniciais de ações em mais de uma década.

De construtoras a varejistas, cinco empresas brasileiras devem fixar o preço de seu IPO, na sigla em inglês, entre 27 de julho e 7 de agosto, o número mais alto para um período de duas semanas desde 2007, segundo dados compilados pela Bloomberg.

A Vasta, unidade de educação básica da Cogna, fará uma oferta na podendo levar esse número a seis.

O fenômeno ressalta a dissonância entre os mercados acionários em alta ao redor do mundo e uma catástrofe sanitária global.

As empresas que adiaram ofertas no início da turbulência agora correm para aproveitar a demanda ressurgente, diante do cenário de ampla liquidez.

“As empresas estão preocupadas que essa janela possa ser relativamente curta devido à desconexão entre os níveis do mercado e o estado da economia real”, disse Pablo Riveroll, diretor de ações para América Latina da Schroders, em Londres.

Enquanto as ações brasileiras subiram 64% em relação ao piso de março, a economia do país deverá encolher quase 6% neste ano, segundo pesquisa Focus.

Globalmente, o cenário para IPOs é misto. O total de ofertas iniciais atingiu US$ 83,1 bilhões nos últimos três meses, ante US$ 68,5 bilhões no mesmo período do ano passado, com a China representando quase metade do total, segundo dados compilados pela Bloomberg. O número de transações, no entanto, caiu de 423 para 370.

No Brasil, apesar de um número recorde, o volume de recursos é modesto. As cinco empresas podem levantar cerca de R$ 7,9 bilhões — o mesmo valor que a Lojas Americanas captou sozinha em sua oferta subsequente há duas semanas.

Fundos locais e investidores de varejo que devem sustentar boa parte da demanda. Os estrangeiros compraram cerca de 36% das ofertas locais no primeiro semestre do ano, ante 47% no mesmo período do ano passado, segundo dados da B3.

“As empresas estão aproveitando a oportunidade para refinanciar dívidas e investir em crescimento futuro — ou ambos”, disse Malcolm Dorson, que ajuda a administrar cerca de US$ 950 milhões em fundos de mercados emergentes na Mirae Asset Global Investments, em Nova York.

Entre as próximas ofertas, há a da Quero-Quero, varejista de material de construção que tem o fundo de private equity Advent como acionista há mais de um década, o Grupo Soma, que deu prejuízo nos três primeiros meses do ano, e a d1000, uma unidade da Profarma — empresa listada desde 2006 e que acumula 70% de queda desde o IPO.

Abaixo, a lista de IPOs anunciados:

Riva 9

Unidade da Direcional, a Riva 9 é uma incorporadora focada em residências de média renda que fará uma oferta primária.

Tamanho estimado: Com base no topo da faixa de preço indicativa (R$ 19,00), a empresa poderia levantar até R$ 1,5 bilhão, se os lotes adicionais e suplementares forem totalmente vendidos

Data para fixação do preço: 28 de julho

Link para prospecto

Grupo Soma

Criado em 2014, o Grupo Soma é dono das marcas de moda Farm, Animale e Maria Filó e fará uma oferta primária e secundária.

Tamanho estimado: Com base no topo da faixa de preço indicativa (R$ 11,00), a oferta poderia movimentar até R$ 2 bilhões, se os lotes adicionais e suplementares forem totalmente vendidos

Data para fixação do preço: 29 de julho

Link para prospecto

You Inc

A incorporadora You Inc e o seu acionista controlador Abrão Muszkat vão vender cerca de 48 milhões de ações da compania, que opera principalmente na cidade de São Paulo.

Tamanho estimado: Com base no topo da faixa de preço indicativa (R$ 23,50), a oferta poderia movimentar até R$ 1,3 bilhão, se o lote suplementar for totalmente vendido

Data para fixação do preço: 3 de agosto

Link para prospecto

d1000

Unidade do grupo Profarma, a rede farmácias fará uma oferta primária para financiar expansão.

Tamanho estimado: Com base no topo da faixa de preço indicativa (R$ 20,32), a empresa poderia levantar até R$ 645,6 bilhões, se os lotes adicionais e suplementares forem totalmente vendidos

Data para fixação do preço: 6 de agosto

Link para prospecto

Quero-Quero

Varejista de material de construção, a Quero-Quero e o fundo de private equity Advent vão vender ações na oferta. A transação pode oferecer uma saída ao fundo, que pode desinvestir completamente sua fatia de 88,1% na empresa.

Tamanho estimado: Com base no topo da faixa de preço indicativa (R$ 14,00), a oferta poderia movimentar até R$ 2,5 bilhões, se o lote suplementar for totalmente vendido

Data para fixação do preço: 6 de agosto

Link para prospecto

Pague Menos

A Pague Menos é a terceira maior rede de farmácias do Brasil em número de lojas. Itaú BBA, Credit Suisse, XP Investimentos, Santander Brasil, JPMorgan e BB Investimentos lideram a oferta.

Tamanho estimado: Com base no topo da faixa de preço indicativa (R$ 12,54), a empresa pode levantar até R$ 1,3 bilhão, se o lote suplementar for totalmente vendido

Data para fixação do preço: 31 de agosto

Link para prospecto

Outras transações esperadas:

Vasta

Subsidiária de ensino básico da Cogna, a Vasta fará uma oferta na Nasdaq.

Tamanho estimado: Com base no topo da faixa de preço indicativa (US$ 17,50), a oferta poderia movimentar até US$ 374 milhões, se o lote suplementar for totalmente vendido

Link para prospecto

Lavvi

Construtora focada em média e alta renda. Foi criada em 2016 como uma joint venture entre Cyrela e RH Empreendimentos.

Link para prospecto

Plano & Plano

Uma joint venture entre Cyrela, Rodrigo Luna e Rodrigo Fairbanks Von Uhlendorff.

Link para prospecto

2W Energia

Empresa de energia, quer levantar recursos para investir em energia eólica, segundo a Reuters.

Link para prospecto

Nortis

Construtora Nortis e acionistas vão vender ações na oferta. Empresa foi criada por ex-executivos da Even.

Link para prospecto

Caixa Seguridade

Unidade de seguros da Caixa Econômica Federal, teve sua abertura de capital adiada em março.

Link para documento

One Innovation

Incorporadora e acionistas pretendem vender ações na oferta.

Link para prospecto

Melnick

Construtora Even contratou BTG Pactual, Itaú BBA, XP Investimentos e Banco Safra para potencial oferta de ações de sua subsidiária.

Link para documento

Maestro

Locadora de veículos disse no começo de julho que estava estudando uma oferta de ações.

Link para documento

Hidrovias do Brasil

Os acionistas da empresa de logística se reúnem em 03 de agosto para discutir uma potencial oferta primária e secundária.

Link para documento

Surf

Operadora de telefonia móvel, empresa estuda listagem no Brasil ou nos Estados Unidos.

Link para reportagem

Cury

A incorporadora Cury, que também tem a Cyrela como acionista, retomou planos para uma oferta.

Link para documento

Subsidiárias da Cosan

A Cosan disse que pode preparar suas principais subsidiárias operacionais e companhias co-controladas para eventuais IPOs como parte de sua reorganização societária.

Link para documento

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Rafael Borges - 28/07/2020 - 13:52