Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Ibovespa em queda: varejistas saltam, enquanto bancos e Petrobras recuam

28/11/2019 - 13:03
Ações das Lojas Americanas tinham alta de mais de 2% por volta das 13h (Imagem: Renan Dantas/Equipe Money Times)

A bolsa paulista não mostrava um tendência clara nesta quinta-feira, em sessão sem Wall Street, com ações de varejo entre os destaques positivos do Ibovespa antes da Black Friday, bem como o setor de proteínas, enquanto os papéis de bancos e da Petrobras figuravam entre as maiores quedas.

Às 13:01, o Ibovespa caía 0,12 %, a 107.573,38 pontos, já tendo trocado de sinal algumas vezes.

Nos Estados Unidos, os mercados estão fechados nesta quinta-feira em razão do feriado do Dia de Ação de Graças, o que deixa o pregão brasileiro sem o seu principal referencial e tende a reduzir o volume de negociação.

Do noticiário externo, contudo, trazia alguma cautela decisão do presidente dos EUA, Donald Trump, de sancionar legislação do Congresso que defende os manifestantes contrários ao governo em Hong Kong, apesar das objeções de Pequim.

Hong Kong Protestos
Trump manifesta apoio as manifestações de Hong Kong (Imagem: Reuters/Athit Perawongmetha)

Nesta quinta-feira, a China alertou os EUA que irá adotar “contramedidas firmes” em resposta à legislação, e disse que tentativas de interferir na cidade comandada pela China estão destinadas a falhar.

Na Europa, tais notícias enfraqueciam os pregões, respaldando dúvidas sobre um desfecho para a prolongada guerra tarifária entre Washington e Pequim.

O BTG Pactual afirma manter otimismo em relação a ações mais seletivas na B3 (B3SA3), avaliando que o crescimento do PIB ao redor de 2% em 2020 deve gerar um “grande e excepcional crescimento de margens brutas e operacionais das empresas bem administradas que serão certamente traduzidos em bons resultados”.

Destaques

Bradesco (BBDC4) perdia 1,17% e Itaú Unibanco (ITUB4) caía 0,92%, após o Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovar na véspera resolução que muda o desenho do cheque especial, estabelecendo que a taxa de juros do produto não poderá superar 8% ao mês.

Em compensação, a resolução também permitirá que as instituições financeiras cobrem tarifa pela disponibilização de limite de cheque especial, sendo vedada a cobrança para limites de crédito de até 500 reais. Analistas estimam efeito de até 5% nos lucros dos grandes bancos em 2020.

Santander (SANB11) cedia 0,94% e Bradesco (BBDC4) recuava 0,30%.

Petrobras (PETR4) cedia 0,85% e Petrobras (PETR3) caía 0,95%, tendo de pano de fundo a queda dos preços do petróleo no exterior e divulgação do plano de negócios para o período de 2020-2024, no qual a companhia reduziu em 10% a sua previsão de investimentos para os próximos cinco anos, bem como estimou produção total de óleo e gás em 3,5 milhões de barris de óleo equivalente ao dia em 2024, ante 2,7 milhões boed projetados para 2020.

Para o analista Regis Cardoso, do Credit Suisse, o programa desaponta no curto prazo, mas traz uma perspectiva positiva para o longo prazo.

Via Varejo (VVAR3) tinha elevação de 2,42%, na véspera da Black Friday, em meio a expectativas de crescimento nas vendas da data promocional neste ano.

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) estima que a Black Friday deste ano deverá movimentar 3,67 bilhões de reais e alcançar o maior faturamento em uma década.

– Lojas Americanas (LAME4) valorizava-se 2,44%, B2W (BTOW3) subia 1% e Magazine Luiza (MGLU3) recuava 0,22%. Também Cielo (CIEL3) avançava 2,41%.

JBS (JBSS3) mostrava acréscimo de 3,55%, também contribuindo do lado positivo, com o setor de proteínas como um todo no azul.

O Rabobank divulgou mais cedo estimativas para o setor no Brasil em 2020, projetando crescimento da produção e das exportações de carnes do país.

Marfrig (MRFG3) avançava 1,49% e BRF (BRFS3) subia 0,63%. Fora do Ibovespa, Minerva (BEEF3) valorizava-se 2,14%.

Vale (VALE3) apresentava queda de 0,04%, em dia de fundo alta dos contratos futuros de minério de ferro da China nesta quinta-feira, recuperando-se de duas sessões consecutivas de perdas, depois que Pequim lançou uma série de medidas de estímulo destinadas a sustentar a economia.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Lucas Simões - 28/11/2019 - 13:03