Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Coin DTVM

Ibovespa fecha acima dos 100 mil pontos pela 1º vez desde março

10/07/2020 - 17:14
Ibovespa
Na semana, acumulou alta de 3,38%, mantendo em julho o viés positivo dos últimos três meses (Imagem: REUTERS/Amanda Perobelli)

O Ibovespa (IBOV) fechou em alta nesta sexta-feira, acima dos 100 mil pontos pela primeira vez desde março, apoiado no viés positivo dos mercados no exterior, com CVC Brasil (CVCB3) e Cogna (COGN3) avançando mais de dois dígitos e liderando os ganhos da sessão.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 0,88%, a 100.031,83 pontos. O volume financeiro somou 24,1 bilhões de reais.

Na semana, acumulou alta de 3,38%, mantendo em julho o viés positivo dos últimos três meses, apoiado no cenário de juros bastante baixos no país e sinais de que o pior para atividade econômica brasileira pode ter ficado para trás.

Embora continue distante dos quase 120 mil pontos que alcançou no final de janeiro, o Ibovespa já acumula valorização de cerca de 60% desde as mínimas do ano registradas em março.

Para o analista José Falcão, da Easynvest, correções e realização de lucros não estão descartadas, mas o movimento principal da bolsa é de alta e não há sinais de mudança dessa tendência.

“O cenário é positivo, de bolsa em alta, sem sinais de reversão nesse momento”, reiterou.

Ele ponderou, contudo, que o mercado precisa de dados e acontecimentos que deem mais força para o Ibovespa se consolidar acima dos 100 mil pontos, bem como a proximidade da temporada de balanços do segundo trimestre pode frear o fôlego.

A temporada das empresas do Ibovespa começa dia 22, com a divulgação do balanço de Weg (WEGE3).

No exterior, o norte-americano S&P 500 subiu 1%, com a notícia de que o medicamento remdesivir da Gilead melhorou significativamente a recuperação clínica e reduziu o risco de morte em pacientes com Covid-19.

A alta de novos casos de coronavírus nos Estados Unidos tem adicionado cautela mais recentemente, principalmente por causa de temores quando a uma volta de medidas de lockdown que afete a retomada da maior economia do mundo.

Cogna Vasta Educação
Cogna disparou 11,05%, em meio a expectativas para o IPO de sua subsidiária de educação básica Vasta (Imagem: Site/ Vasta Educação)

Destaques

CVC Brasil (CVCB3) saltou 14%, a 22 reais. A operadora de turismo anunciou um aumento de capital que pode chegar a 703 milhões de reais, com subscrição privada a 12,84 reais por ação. O valor representa um desconto de 33,5% em relação à cotação de fechamento do papel da véspera, de 19,30 reais. Analistas do BTG Pactual consideraram o anúncio positivo, embora ainda enxerguem um cenário desafiador para o setor nos próximos trimestres. No ano, as ações da CVC acumulam queda de quase 50%.

Cogna (COGN3) disparou 11,05%, em meio a expectativas para o IPO de sua subsidiária de educação básica Vasta nos Estados Unidos, após a companhia pedir no começo da semana registro para a oferta. Em relatório na ocasião, a Guide Investimentos considerou a notícia positiva, acrescentando que, caso operação ocorra, a Cogna conseguirá levantar um montante importante para readequação da sua estrutura de capital. A ação lidera as altas do Ibovespa no mês.

Petrobras (PETR4) subiu 1,67% e Petrobras  (PETR3) avançou 1,55%, na esteira da alta dos preços do petróleo no mercado externo.

Vale (VALE3)  fechou com elevação de 0,97%, mesmo com declínio dos preços futuros do minério de ferro na China, que, entretanto, tiveram seu maior ganho semanal desde meados de maio, com o otimismo crescendo em relação às perspectivas de demanda do maior produtor e consumidor mundial de produtos siderúrgicos.

Itaú Unibanco (ITUB4) avançou 0,93%, mesmo após sua unidade no Chile registrar uma baixa contábil sem efeito caixa referente a perda de 930 milhões de dólares com ativos. No setor, Bradesco (BBDC4) subiu 1,46%.

Qualicorp (QUAL3) fechou em baixa de 2,53%, com outras ações do setor de saúde também entre os destaques negativos. NotreDame Intermédica (GNDI3)  perdeu 1,79% e Fleury (FLRY3) recuou 1,01%. Na contramão, Hapvida (HAPV3) subiu 0,9%.

Eletrobras (ELET3) e Eletrobras (ELET6) caíram 1,33% e 2,01%, respectivamente, em sessão de ajustes, após alta expressiva na véspera, em meio a expectativas relacionadas à privatização da elétrica estatal.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Renan Dantas - 10/07/2020 - 18:07

Cotações Crypto
Pela Web