Sobe-e-desce da Bolsa

Ibovespa: Petz (PETZ3) dispara e é a maior alta do dia; Cielo (CIEL3) lidera as baixas

12 set 2023, 13:08 - atualizado em 12 set 2023, 13:08
Ibovespa
Ibovespa: as aéreas tinham sessão positiva nesta terça-feira (12) (Imagem: REUTERS/Amanda Perobelli)

Ibovespa (IBOV) sobe nesta terça-feira (12), após encerrar a última sessão em alta de 1,36%, negociado aos 116,8 mil pontos.

Por volta de 12h50, as ações da Petz (PETZ3) disparava 6,34% e lideravam as altas. Hapvida (HAPV3) vinha em seguida, subindo 4,73% após o Itaú BBA reiterar a recomendação de “outperform” para o papel e elevar o preço-alvo para R$ 7, de R$ 6 antes e definindo a ação como a preferida do setor de saúde.

As mineradoras operavam de forma mista. Vale (VALE3) e CSN (CSNA3) subiam 0,15% e 0,50%, respectivamente. CSN Mineração (CMIN3) caía 1,14%. O movimento acontece após o minério de referência de outubro subir 1,19% em Cingapura, a US$ 118,75  a tonelada.

Azul (AZUL4) subia 2,49% após registrar alta de 3,5% na demanda por seus voos em agosto, em comparação ao mesmo período do ano anterior. A oferta avançou 13,1%, conforme dados preliminares de tráfego divulgados pela companhia aérea. No setor, Gol (GOLL4) avançava 2,10%.

Ferbasa (FESA4) subia 2,42% após anunciar o contrato com empresa controlada da Auren Energia para exploração dos parques eólicos Ventos de São Ciro e Ventos de São Bernardo. AURE3 caía 0,29%.

Baixas do Ibovespa

Cielo (CIEL3) caía 1,90% e era a maior baixa do dia. Mais cedo, a empresa divulgou a pesquisa realizada com clientes, que mostrou queda de 1,9% nas vendas no varejo em agosto ante igual período do ano passado, excluindo efeitos da inflação.

Braskem (BRKM5) recuava 1,67% após anunciar que assinou contrato para comprar matéria-prima da Vitol. As petroleiras iam na contramão, com Petrobras (PETR4), 3R Petroleum (RRRP3) e Prio (PRIO3) avançando 0,84%, 1,52% e 1,13%, respectivamente.

Ambev (ABEV3) e BRF (BRFS3) também figuravam na ponta negativa e perdiam 0,87% e 0,37%, respectivamente.

*Com Reuters

Repórter
Graduanda em jornalismo pela Universidade Estácio de Sá. Tem experiência cobrindo mercados, ações, investimentos, finanças, negócios, empreendedorismo, franquias, cultura e entretenimento. Ingressou no Money Times em 2021.
Linkedin
Graduanda em jornalismo pela Universidade Estácio de Sá. Tem experiência cobrindo mercados, ações, investimentos, finanças, negócios, empreendedorismo, franquias, cultura e entretenimento. Ingressou no Money Times em 2021.
Linkedin