Mercados

Ibovespa (IBOV) abre semana sob peso do arcabouço; estrategista vê correção para próximos dias

22 maio 2023, 17:20 - atualizado em 22 maio 2023, 18:00
Ibovespa
Investidores estão à espera de uma semana decisiva para o arcabouço fiscal (Imagem: Patricia Monteiro/Bloomberg)

O Ibovespa (IBOV) iniciou a semana no campo negativo, tendo encerrado esta segunda-feira (22) em leve queda de 0,48%, a 110.213,12 pontos.

No cenário local, investidores estão à espera de uma semana decisiva para o arcabouço fiscal. Espera-se que a Câmara dos Deputados vote a proposta do texto que substituirá o teto de gastos na quarta-feira (24). Para a aprovação, é necessário o apoio da maioria absoluta, de 257 deputados. Se aprovado, o texto segue para o Senado.

Segundo Lucas de Caumont, estrategista de investimentos da Matriz Capital, o aguardo pelo novo arcabouço é o que faz o mercado adotar uma postura de cautela.

O estrategista acrescenta que o mercado brasileiro pode estar próximo de uma correção nesta semana e na próxima, dada a valorização das semanas passadas.

“Mas tudo vai depender de como irá se dar a votação do arcabouço e do apetite dos investidores”, acrescenta.

Na agenda econômica, destaque para a nova edição do Boletim Focus. Economistas ouvidos pelo Banco Central reduziram a previsão do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) para o fim deste ano. As projeções de inflação passaram de 6,03% para 5,80%.

O presidente do BC, Roberto Campos Neto, disse nesta segunda, em seminário promovido pelo jornal Folha de S. Paulo, que existem evidências de uma desaceleração da inflação. No entanto, o núcleo dos preços ainda permanece alto, e as expectativas de alta dos preços continuam elevadas.

No exterior, as atenções recaem sobre o impasse envolvendo o teto da dívida nos Estados Unidos. Após discussões fracassas na última sexta-feira (19), o presidente dos EUAJoe Biden, e o líder republicano na Câmara dos Deputados, Kevin McCarthy, se reúnem para conversar sobre o teto de endividamento do país.

As novas negociações acontecem menos de duas semanas antes de um prazo após o qual o Departamento do Tesouro dos EUA alertou que o governo federal terá dificuldades para pagar suas dívidas.

Altas e baixas

As ações da Vale (VALE3) e da Petrobras (PETR4) puxaram o Ibovespa para baixo hoje. Os papéis da mineradora recuaram 1,60%, seguindo a baixa do minério de ferro na China, enquanto a empresa estatal do setor de óleo e gás caiu 1,16%.

O setor bancário, também de peso relevante para o índice, teve um pregão negativo, com destaque para o Itaú (ITUB4), que perdeu 1,90%.

As ações da Alpargatas (ALPA4) dispararam 17,41%, após controladores da companhia enviarem uma oferta pública voluntária para compra de até 32 milhões de papéis.

Empresas do setor aéreo também subiram bem. Azul (AZUL4) liderou as altas do setor, tendo avançado 9,23%. O Bank of America (BofA) elevou a recomendação da ação para “neutro”.

Destaque negativo do Ibovespa, a Cielo (CIEL3) encerrou com perdas de 3,71%, seguida pela MRV (MRVE3), que caiu 3,36%.

Com informações da Reuters.

Editora-assistente
Formada em Jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Atua como editora-assistente do Money Times há pouco mais de três anos cobrindo ações, finanças e investimentos. Antes do Money Times, era colaboradora na revista de Arquitetura, Urbanismo, Construção e Design de interiores Casa & Mercado.
Linkedin
Formada em Jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Atua como editora-assistente do Money Times há pouco mais de três anos cobrindo ações, finanças e investimentos. Antes do Money Times, era colaboradora na revista de Arquitetura, Urbanismo, Construção e Design de interiores Casa & Mercado.
Linkedin