ImóvelTimes

Iguatemi (IGTI11) acerta investimento de R$ 360 milhões por 17% do Shopping Rio Sul

09 jul 2024, 8:29 - atualizado em 09 jul 2024, 9:57
iguatemi-igti11-768x407
Iguatemi acerta investimento de R$ 360 milhões por 17% do Shopping RioSul (Imagem: Kaype Abreu/Money Times)

A Iguatemi (IGTI11) informou nesta segunda-feira (8) que celebrou um acordo de investimento com a empresa de shopping centers Combrashop para participar da aquisição de 54% do Shopping Rio Sul, localizado no Rio de Janeiro.

O investimento da Iguatemi na operação será de cerca de 360 milhões de reais, segundo o fato relevante, sendo 70% do valor à vista e o restante em duas iguais parcelas anuais corrigidas a CDI, o que representa um “cap rate” de entrada de 7,7% sobre o resultado operacional (NOI) estimado de 2024.

  • Quais são as top “Money Picks” para este mês? O Money Times ouviu analistas de toda a Faria Lima para descobrir; veja aqui o resultado 

A Iguatemi disse que participará da operação em conjunto com um fundo da BB Asset, o BB Premium Malls (BBIG FII), inicialmente mediante a subscrição e integralização de certificados de recebíveis imobiliários (CRIs).

Após a conclusão da operação, a Iguatemi passará a ser titular de 16,6% do empreendimento, a Combrashop deterá 50,1%, e o BBIG FII terá 33,3%. O acordo ainda prevê que a Iguatemi será contratada como administradora do Shopping RioSul.

Recentemente, a operadora de shopping centers rival Allos assinou documento vinculante em conjunto com investidores financeiros e estratégicos para adquirir 54% da participação indiretamente detida por um fundo da Brookfield no Shopping RioSul, mirando uma fatia de até 15% para si.

No entanto, as negociações foram encerradas após a Combrashop confirmar sua intenção de exercer o direito de preferência para aquisição de 54% da participação da Brookfield.

Giro da Semana

Receba as principais notícias e recomendações de investimento diretamente no seu e-mail. Tudo 100% gratuito. Inscreva-se no botão abaixo:

*Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.