Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Investidor acredita que Covid pode rivalizar com gripe de 1918

25/10/2020 - 17:02
Wall Street Mercados Nova York Nyse
O diretor de investimentos da Guggenheim, Scott Minerd, vê deterioração das condições de crédito, bem como queda do mercado acionário (Imagem: Reuters/Lucas Jackson)

O diretor de investimentos da Guggenheim Investments, Scott Minerd, disse que a pandemia de Covid-19 avançará até ecoar um dos piores surtos virais da história.

“À medida que entramos na temporada de gripe de inverno, mais atividades em ambientes fechados provavelmente farão com que os casos se acelerem mais, ecoando a pandemia de 1918”, escreveu na quinta-feira em memorando para clientes. Minerd acrescentou que a segunda onda de casos de coronavírus pode superar o número visto após o surto inicial.

A pandemia de gripe de 1918 matou cerca de 50 milhões de pessoas no mundo todo. A atual crise de saúde causou mais de 1 milhão de mortes até agora.

Minerd começou a enviar alertas antes de muitos de seus colegas de Wall Street. Em fevereiro, ele disse à Bloomberg Television que a pandemia de coronavírus é possivelmente a pior coisa que havia visto em sua carreira e que seria difícil imaginar um cenário em que poderia ser contida.

O aumento previsto de casos pode agravar a instabilidade política em torno das eleições de 3 de novembro nos Estados Unidos, resultando em “forte aperto das condições financeiras e retração dos gastos dos consumidores e investimento empresarial”, escreveu.

Minerd vê deterioração das condições de crédito, com até US$ 300 bilhões em dívida corporativa caindo abaixo do grau de investimento até o fim do próximo ano, bem como queda do mercado acionário, o que criaria oportunidades de compra. O investidor aplicou bilhões de dólares em meados de março, gastando mais do que a maioria em Wall Street quando os preços do crédito despencaram.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Diana Cheng - 23/10/2020 - 17:21