Economia

IPCA deve voltar a desacelerar em junho e alimentos serão ‘ponto chave’; veja o que esperar da inflação desta quarta (10)

09 jul 2024, 14:07 - atualizado em 09 jul 2024, 14:19
ipca inflação junho
IPCA, inflação oficial do Brasil, deve desacelerar em junho (Imagem: hxdyl/Getty Images Pro)

A inflação de junho — que será divulgada às 9h desta quarta-feira (10) — deve desacelerar. No último Relatório Focus, os economistas ouvidos pelo Banco Central (BC) cortaram a projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do mês passado de 0,33% para 0,32%.

Em maio, a inflação subiu 0,46% na variação mensal e 3,93% no acumulado em 12 meses. No período, o avanço de apenas 0,36% dos bens industriais compensou parcialmente a alta de 5,09% dos preços de serviços e de 6,09% nos preços administrados, ajudando a manter o índice próximo à meta.

Para o BTG Pactual, o IPCA deve subir 0,33% em junho. “Reduzimos nossas estimativas para a inflação […] de 0,34% para 0,33%. A revisão foi impulsionada principalmente pelas passagens aéreas”, explica o analista Bruno Balassiano.

A atualização para baixo, entretanto, foi compensada pelos demais segmentos. Apesar da impressão de inflação alimentar menor que o esperado na prévia do IPCA, a quebra levou o banco a elevar as projeções de junho para o segmento.

O analista também aumentou as previsões para bens industriais, serviços essenciais e itens regulamentados para este mês, devido às surpresas ascendentes no IPCA-15. “Isso compensou a maior parte da revisão em baixa impulsionada pelas tarifas aéreas”, diz.

O estrategista de renda fixa do Itaú BBA, Lucas Queiroz, diz que a dúvida quanto à trajetória da inflação de alimentos é um dos ponto chave a serem compreendidos nesta semana.

Trajetória da inflação

A inflação acelerou nos últimos três meses, sendo que, em maio, superou o consenso do mercado. Antes, o IPCA havia desacelerado de 0,83% em fevereiro para 0,16% em março.

No ano de 2024, o índice não registrou deflação em nenhum mês.

Para os próximos meses, os economistas ouvidos pelo BC esperam novas altas — de 0,19% em julho e de 0,10% em agosto.

Já para o ano, eles projetam o índice em 4,2%. O BTG, por sua vez, espera que a inflação feche 2024 em 4%.

Editora-assistente
Editora-assistente no Money Times e graduanda em Jornalismo pela Unesp - Universidade Estadual Paulista. Entrou para a área de finanças e investimentos em 2021.
Linkedin
Editora-assistente no Money Times e graduanda em Jornalismo pela Unesp - Universidade Estadual Paulista. Entrou para a área de finanças e investimentos em 2021.
Linkedin
Giro da Semana

Receba as principais notícias e recomendações de investimento diretamente no seu e-mail. Tudo 100% gratuito. Inscreva-se no botão abaixo:

*Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.