Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

IPCA sobe 0,64% em setembro, maior alta para o mês desde 2003, aponta IBGE

09/10/2020 - 9:38
Varejo Consumo Comércio
No acumulado de 12 meses até setembro, o IPCA teve alta de 3,14% (Imagem; Reuters/Ricardo Moraes)

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) teve em setembro a maior alta para o mês desde 2003, de 0,64%, pressionado pelo aumento dos preços de alimentos, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira.

No acumulado de 12 meses até setembro, o IPCA acumulou alta de 3,14%, frente a 2,44% nos 12 meses até agosto.

As expectativas em pesquisa da Reuters eram de alta de 0,54% em setembro, acumulando em 12 meses avanço de 3,03%.

Segundo o IBGE, o maior impacto no índice no mês veio do grupo alimentação e bebidas, que registrou alta de 2,28%, após subir 0,78% em agosto.

Essa aceleração decorreu principalmente da alta de 2,89% apontada nos alimentos para consumo em domicílio, com destaque para óleo de soja (+27,54%), arroz (+17,98%), tomate (11,72%) e leite longa vida (+6,01%).

Outros grupos que tiveram altas relevantes foram artigos de residência (+1%) –que inclui televisores e mobiliário– transportes (+0,70%) e habitação (+0,37%).

Segundo o IBGE, o maior impacto no índice no mês veio do grupo alimentação e bebidas, que registrou alta de 2,28%, após subir 0,78% em agosto (Imagem: Pixabay)

O único dos nove grupos monitorados que apresentou queda expressiva foi o de saúde e cuidados pessoais (-0,64%). O grupo educação oscilou 0,09% para baixo.

Em agosto, o IPCA havia subido 0,24%. Em setembro de 2003, a alta foi de 0,78%.

Apesar da alta, a inflação em 12 meses segue abaixo da meta do Banco Central para 2020, que é de 4%, com uma margem de tolerância de 1,5 ponto para mais ou para menos.

(Atualizada às 10h05)

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.
Leia mais sobre: , , , , , ,

Última atualização por Rafael Borges - 09/10/2020 - 10:05