Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
PIB

Japão fica à beira da recessão após contração do PIB no 4º trimestre

17/02/2020 - 8:25
O Produto Interno Bruto do Japão encolheu a uma taxa anualizada de 6,3% entre outubro e dezembro (Imagem: Reuters/Kim Kyung-Hoon)

A economia do Japão encolheu no ritmo mais rápido em quase seis anos no quarto trimestre de 2019 uma vez que a alta dos impostos sobre vendas afetou os consumidores e os gastos das empresas, levantando o risco de uma recessão em meio ao surto de coronavírus na China.

Analistas dizem que as consequências da epidemia, que está prejudicando a produção e o turismo, podem ter um impacto significativo sobre o Japão se não forem contidas nos próximos meses.

“Existe uma boa chance de a economia sofrer outra contração entre janeiro e março. O vírus vai afetar principalmente o turismo e as exportações, mas também pode pesar bastante sobre o consumo doméstico”, disse Taro Saito, pesquisador do Instituto de Pesquisas NLI.

O Produto Interno Bruto (PIB) do Japão encolheu a uma taxa anualizada de 6,3% entre outubro e dezembro, mostraram dados do governo nesta segunda-feira, muito mais do que a expectativa do mercado de uma queda de 3,7% e o primeiro recuo em cinco trimestres.

Foi a maior queda desde o segundo trimestre de 2014, quando o consumo diminuiu depois de um aumento do imposto sobre vendas em abril daquele ano.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

O aumento do imposto sobre vendas em outubro do ano passado –bem como clima quente atípico que afetou as vendas de itens de inverno –pesou sobre o consumo privado, que caiu 2,9%, acima do esperado e marcando a primeira queda em cinco trimestres.

Os gastos de capital recuaram 3,7% no quarto trimestre, muito mais rápido do que a expectativa de recuo de 1,6% e o primeiro declínio em três trimestres, mostraram os dados.

Combinada, a demanda doméstica derrubou 2,1 pontos percentuais do crescimento do PIB, mais do que compensando a contribuição positiva de 0,5 ponto da demanda externa.

Última atualização por Lucas Simões - 17/02/2020 - 8:25