AgroTimes

John Deere anuncia chegada de nova colheitadeira no Brasil; confira

08 abr 2024, 19:52 - atualizado em 08 abr 2024, 19:52
john deere colheitadeira
Para os interessados na nova máquina agrícola da John Deere, ela estará em exposição na Agrishow, em Ribeirão Preto (Foto: Divulgação)

A John Deere (Deere Company) anunciou lançamento de uma nova colheitadeira de grãos no mercado brasileiro. Batizada de X9, a colheitadeira é capaz de colher mais de 100 t/h com menos de 1% de perdas.

A nova solução já está disponível para aquisição por meio de um Programa de Pré-Vendas para todos os produtores do Brasil. Os primeiros clientes que participarem do programa e adquirirem a X9 terão direito a uma viagem aos Estados Unidos para conhecer a fábrica da John Deere onde a máquina é produzida.

A colheitadeira também estará presente na Agrishow, que ocorre entre os dias 29 de abril e 3 de maio de 2024 em Ribeirão Preto (SP).

A X9 está disponível no modelo X9 1000, com um tanque de grãos de 14.800 litros de capacidade, tubo de descarga de 9,5 metros, articulado e ponteira ajustável. A X9 possui taxa de descarga de 162 litros por segundo, descarregando um graneleiro cheio em apenas 90 segundos.

“Apenas em 2023, a John Deere investiu globalmente US$ 2,18 bilhões em Pesquisa e Desenvolvimento. O objetivo é trazer para o mercado soluções que ajudem os produtores a conquistarem a máxima produtividade, com redução de custos e sustentabilidade. A X9 é um produto que proporciona um aumento de 40% na capacidade de colheita e consome 30% menos combustível”, comenta Gustavo Husak, gerente de Marketing Tático para Sistemas de Produção da John Deere Brasil.

Sobre a colheitadeira

A colheitadeira sai de fábrica equipada com o novo motor John Deere PowerTech™ de 13,6 L, que pode trabalhar até 14 horas sem reabastecimento por conta do robusto sistema de transmissão de energia para os módulos finais, tornando a X9 mais eficiente em termos de consumo de combustível.

O sistema de Rotor Duplo XDS tem trilha e separação com dois rotores mais longos, que permitem um maior processamento e preservação da qualidade dos grãos. O material é trilhado e separado durante nove rotações, resultando em menos perdas e um aumento na capacidade de colheita.

“A plataforma com a maior articulação de chassi do mercado e barra de corte flexível resulta na melhor copiagem do terreno, permitindo um corte mais rente e preciso da cultura, além de uma esteira draper exclusiva que reduz de forma expressiva a perda de grãos na plataforma”, afirma Husak.

Outro grande diferencial é o sistema Dyna-Flo™ XL, que conta com 7 m² de área de limpeza, podendo colher os mais diferentes tipos de culturas e cereais, resultando em grãos mais limpos e íntegros no tanque graneleiro.

A máquina também possui uma tecnologia capaz de fazer ajustes automáticos à medida que as condições de campo mudam, para que o equipamento trabalhe de forma constante na sua máxima performance e capacidade, com o mínimo de intervenções por parte do operador.

A cabine da Série X combina conforto, luxo e isolamento acústico, com ampla visibilidade da operação, com mais espaços de armazenamento, portas USB, frigobar com 25 litros de capacidade, melhor precisão com o receptor integrado StarFire 7500 e display G5 Command Center para o controle total da operação, central multimídia com tela sensível ao toque e compatibilidade com o sistema Apple CarPlay e AndroidAuto.

A colheitadeira X9 também possui um sistema de telemetria para monitoramento e acompanhamento dos dados da máquina e agronômicos através do John Deere Operations Center™.

Repórter
Formado em Jornalismo pela Universidade São Judas Tadeu. Atua como repórter no Money Times desde março de 2023. Antes disso, trabalhou por pouco mais de 3 anos no Canal Rural, onde atuou como editor do Rural Notícias, programa de TV diário dedicado à cobertura do agronegócio. Por lá, participou da produção e reportagem do Projeto Soja Brasil, que cobre o ciclo da oleaginosa do plantio à colheita, e do Agro em Campo, programa exibido durante a Copa do Mundo do Catar e que buscava mostrar as conexões entre o futebol e o agronegócio.
Linkedin
Formado em Jornalismo pela Universidade São Judas Tadeu. Atua como repórter no Money Times desde março de 2023. Antes disso, trabalhou por pouco mais de 3 anos no Canal Rural, onde atuou como editor do Rural Notícias, programa de TV diário dedicado à cobertura do agronegócio. Por lá, participou da produção e reportagem do Projeto Soja Brasil, que cobre o ciclo da oleaginosa do plantio à colheita, e do Agro em Campo, programa exibido durante a Copa do Mundo do Catar e que buscava mostrar as conexões entre o futebol e o agronegócio.
Linkedin