Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Coin DTVM

Juros ainda funcionam contra a inflação? Veja o que dizem os dados

24/02/2017 - 19:19

Carlos Eduardo Gonçalves é professor e doutor em Economia pela USP, com pós-doutorado pela London School of Economics e autor dos livros “Economia sem Truques” e “Pequenas estórias. Escreve no site Por quê? Economês em bom português.

Qualquer análise empírica séria envolve, inevitavelmente, métodos estatísticos sofisticados. Com técnicas mais simples, no entanto, é possível mostrar para uma quantidade mais abrangente de leitores, em linhas gerais, por onde a água corre. Aqui vou usar apenas a correlação entre duas variáveis – os estatísticos sisudos que me desculpem. Minhas variáveis são a inflação dos preços livres e a taxa de juros no Brasil (a taxa Selic, aquela do BC). Os dados são trimestrais e podem ser obtidos no site do Banco Central.

Não sei se vocês foram convidados, mas está rolando um debate sobre o funcionamento da política monetária no Brasil. Ou seja, se apertos de juros derrubam a inflação e se afrouxamentos indevidos de juros elevam a inflação. Em outras palavras, se sobe um, desce o outro. Mas “sobe um, desce o outro” é equivalente a correlação negativa.

O que complica a historinha aqui é que o BC sobe o juro justamente quando a inflação está alta, para que ela caia. Mas se ele reage assim, na base do “inflação alta, juro tem que subir”, os dados vão tender a mostrar uma correlação positiva – e não negativa.

E agora, José?

Um jeito simples – talvez demais, admito – de descomplicar é fazer o seguinte: em vez de olhar para a correlação contemporânea, você olha para a defasada. “Juro mais alto neste trimestre significa inflação mais baixa nos trimestres à frente?”.

E para ver se o BC está fazendo a coisa certa, ou seja, se está fazendo cair juro quando a inflação vem se mostrando fraca, e elevando-o quando ela vem se mostrando forte, a gente inverte a lógica e testa a correlação da inflação hoje com o juro mais à frente (dois trimestres, no meu exemplo).

Neste gráfico que usa dados desde 2004, a gente vê claramente que a alta de juro hoje está associada com a inflação mais baixa no futuro! A correlação negativa é forte!

Também é possível ver que, pelo menos por certo período de tempo, o BC andou pisando na bola: a correlação entre inflação hoje e juro mais adiante é negativa e perto de zero.

economes

Agora vamos fazer o mesmo exercício, mas excluindo o período em que a maioria dos economistas concordaria que o BC pisou no tomate, ou deixou a peteca cair, ou fez vista grossa para a inflação pujante – você escolhe as palavras.

Veja só o que acontece (está abaixo). Primeiro, parece que a política monetária continua funcionando; a correlação entre juro Selic hoje e inflação depois de amanhã segue negativa. Segundo, o BC reage do modo convencional: sobe o juro se a inflação vem incomodando e baixa o juro quando ela dá trégua (correlação positiva).

economes

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.
Leia mais sobre: ,

Última atualização por Money Times - 11/09/2019 - 16:47

Pela Web