BusinessTimes

Layoffs em tecnologia: Demissões em massa estimulam profissionais de TI a buscarem freelancers

11 abr 2023, 16:04 - atualizado em 11 abr 2023, 16:04
Layoffs
Após os layoffs em tecnologia, a procura de freelancers na área cresceu 24% (Imagem: Unsplash/Arif Riyanto)

As demissões em massa, também chamadas de layoffs, estão fazendo com que os profissionais de tecnologia busquem outras alternativas para ter certa estabilidade profissional.

A startup Bossabox, que conta com mais de 33 mil profissionais de tecnologia cadastrados, observou que a procura de freelancers cresceu 24% na plataforma. O movimento foi visto após demissões em big techs e em outras empresas ligadas à área.

Com cada vez mais avanços no segmento, incertezas se estabelecem em torno do mercado de trabalho sobre qual o tamanho do risco que a tecnologia apresenta não somente para os profissionais de TI, mas para as demais carreiras também.

  • Entre para o Telegram do Money Times! Acesse as notícias que enriquecem seu dia em tempo real, do mercado econômico e de investimentos aos temas relevantes do Brasil e do mundo. Clique aqui e faça parte!

Layoffs em tecnologia: Demissões acabaram?

Conforme noticiou o Seu Dinheiro, os cortes em tecnologia em 2023 estão prestes a superar o ano de 2021, que foi considerado o pior ano em termos de demissões.

As informações vieram do relatório Challenger, da companhia de recolocação Challenger, Gray & Christmas. O estudo mostrou que de janeiro até agora, o número de layoffs superou a marca de 270 mil, o que mostra um avanço de 396% em relação ao mesmo período de 2022.

Em março, as empresas demitiram 89.703 funcionários, o que implica uma alta de 15% em relação a fevereiro. Andrew Challenger, vice-presidente sênior da companhia, diz que o movimento provavelmente deve continuar.

“Com os aumentos das taxas continuando e os custos das empresas reinando, as demissões em larga escala que estamos vendo provavelmente continuarão”.

Repórter
Graduanda em jornalismo pela Universidade Estácio de Sá. Tem experiência cobrindo mercados, ações, investimentos, finanças, negócios, empreendedorismo, franquias, cultura e entretenimento. Ingressou no Money Times em 2021.
Linkedin
Graduanda em jornalismo pela Universidade Estácio de Sá. Tem experiência cobrindo mercados, ações, investimentos, finanças, negócios, empreendedorismo, franquias, cultura e entretenimento. Ingressou no Money Times em 2021.
Linkedin