Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Coin DTVM

Lula deve ser candidato em 2022? Brasil está dividido, diz pesquisa

15/03/2021 - 14:52
Lula
Sem meio termo: candidatura de Lula divide todos os estratos sociais (Imagem: REUTERS/Amanda Perobelli)

O Brasil está praticamente rachado ao meio, quando se trata de uma eventual candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para disputar um terceiro mandato em 2022. É o que mostra uma sondagem da Paraná Pesquisas, realizada telefonicamente entre 08 e 10 de março.

Das 2002 pessoas entrevistas pelo instituto, 50,4% afirmam que Lula não deve se candidatar no ano que vem. Já 44,9% declaram que o petista deve concorrer à presidência. Outros 4,7% não souberam ou não responderam.

Quem mais rejeita uma eventual candidatura de Lula são os homens, com 52,9%; pessoas com 60 anos ou mais (53,7%); quem tem ensino superior (59,2%); e quem não integra a população economicamente ativa, isto é, a população que, embora tenha idade para trabalhar, não exerce nenhuma atividade geradora de renda, e nem tem planos de fazê-lo. Nessa camada, a rejeição é de 53,1%.

Apoios

Geograficamente, o Sudeste, que reúne os maiores colégios eleitorais do país, como São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, é a região mais refratária a uma nova candidatura lulista, com 56,2% de rejeição.

Dogecoin valoriza 140% em um dia, devo comprar?

Do outro lado, as mulheres são as que mais apoiam uma nova campanha do ex-presidente (47,4%). Quanto à faixa etária, os jovens de 16 a 24 anos são os mais simpáticos a Lula, com 49,5%. O apoio também é grande entre quem cursou até o ensino fundamental (51,3%).

Outro grupo de apoio é formado por quem integra a população economicamente ativa, isto é, exerce alguma atividade geradora de renda ou está desempregado, mas busca uma recolocação, com 45,8%.

O Nordeste continua como uma grande plataforma lulista, com 58,9% de apoio a uma nova candidatura.

Cabo-eleitoral ou candidato?

Lula retomou os direitos políticos com a decisão do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), de anular todas as suas condenações na Operação Lava Jato. Embora a decisão ainda deva ser discutida pelo plenário da corte, a força eleitoral do petista já é analisada por adversários, aliados e cientistas políticos.

De prático, muitos já preveem um embate entre o presidente Jair Bolsonaro, que não esconde seus planos de se reeleger, e Lula. A disputa levaria a polarização política que racha o Brasil ao limite, e não se sabe ainda quem venceria.

Há alguns dias, o cientista político Antônio Lavareda afirmou ao Money Times que Lula é mais perigoso, para Bolsonaro, como articulador político de uma ampla frente de esquerda, do que como aspirante ao Planalto. “Como candidato, Lula ajudaria Bolsonaro a reaglutinar eleitores que estavam se desgarrando”, afirmou Lavareda na ocasião.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Márcio Juliboni - 15/03/2021 - 14:52

Pela Web