Mercados

Magazine Luiza (MGLU3), Via (VIIA3) e outras: O saldo do varejo após o 2T23 e qual ação comprar

17 ago 2023, 16:03 - atualizado em 17 ago 2023, 16:03
Magazine Luiza magalu kabum mglu3 disputa brita justiça aquisição arbitragem
Pessimismo que levou a uma performance inferior das empresas do setor no ano passado parece ter desaparecido, dizem analistas . (Imagem: Money Times/Renan Dantas)

O lucro líquido consolidado das empresas do varejo recuou de R$ 1,6 bilhão no segundo trimestre do ano passado para prejuízo de R$ 127 milhões no 2T23, disse o BTG Pactual. A receita líquida cresceu 8,4% e o Ebitda caiu 0,4%.

Os analistas do banco Luiz Guanais e equipe disseram seguir com uma visão conservadora sobre o setor e apontaram preferir empresas com momento mais sólido e que oferecem menos espaço para queda o lucro, ao mesmo tempo em que, segundo eles, estão expostas às melhorias macroeconômicas.

Essas companhias seriam, de acordo com o BTG: Mercado Livre (MELI34), Renner (LNNR3), SmartFit (SMFT3) e Arezzo (ARZZ3).

O que mais foi destaque no 2T23

O GMV online para Mercado Livre (Brasil), Magazine Luiza e Via cresceu 16% na comparação anual, contra 10% no mesmo período do ano passado, para R$ 41 bilhões, implicando em um crescimento de GMV online de R$ 5,6 bilhões.

O Mercado Livre superou os pares, crescendo 25% no Brasil para R$24,8 bilhões, adicionando R$ 4,9 bilhões de GMV nos últimos 12 meses, contra R$ 700 milhões do Magazine Luiza e – R$ 67 milhões da Via, destacou o BTG.

O que esperar?

O pessimismo que levou a uma performance inferior das empresas do setor no ano passado parece ter desaparecido, embora com um custo de financiamento mais alto (localmente + globalmente), comentara os analistas.

Eles disseram ver três tendências para o comércio eletrônico no Brasil:

      • Menor crescimento do GMV, refletindo a menor renda disponível e restrições de capital de empresas e famílias, com a maioria dos players ainda expostos a categorias altamente cíclicas;
      • Foco na lucratividade (= menos foco em categorias não lucrativas e taxas de comissão mais altas) e preservação de caixa;
      • Maior consolidação de mercado entre poucos players.

Para os analistas do banco, algumas empresas ainda mostram potencial para que o beta (e o custo do capital próprio) tenha redução, principalmente se as taxas de juros caírem mais rapidamente, desencadeando uma reação positiva de curto prazo.

Editor
Jornalista formado pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), com MBA em finanças pela Estácio. Colaborou com Gazeta do Povo, Estadão, entre outros.
Linkedin
Jornalista formado pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), com MBA em finanças pela Estácio. Colaborou com Gazeta do Povo, Estadão, entre outros.
Linkedin
Giro da Semana

Receba as principais notícias e recomendações de investimento diretamente no seu e-mail. Tudo 100% gratuito. Inscreva-se no botão abaixo:

*Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.