Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Maia e Toffoli defendem respeito às instituições e harmonia entre os Poderes

26/02/2020 - 18:38
Rodrigo Maia Dias Toffoli
Toffoli defendeu a harmonia entre os poderes (Imagem: REUTERS/Adriano Machado)

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), fez nesta quarta-feira uma defesa da democracia e afirmou que as autoridades precisam dar o exemplo de respeito às instituições.

“Criar tensão institucional não ajuda o país a evoluir. Somos nós, autoridades, que temos de dar o exemplo de respeito às instituições e à ordem constitucional. O Brasil precisa de paz e responsabilidade para progredir”, disse Maia no Twitter.

A declaração foi feito depois de o jornal O Estado de S. Paulo noticiar que Bolsonaro enviou ao menos dois vídeos pelo Whatsapp que convocam a população a ir às ruas em 15 de março em defesa do governo e contra o Congresso.

Maia afirmou no Twitter que “só a democracia é capaz de absorver sem violência as diferenças da sociedade e unir a nação pelo diálogo”.

“Acima de tudo e de todos está o respeito às instituições democráticas”, acrescentou o deputado.

Também sem citar diretamente Bolsonaro, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, disse que sociedades livres dependem de instituições sólidas para manterem sua integridade e defendeu a harmonia entre os Poderes.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

“Não existe democracia sem um Parlamento atuante, um Judiciário independente e um Executivo já legitimado pelo voto”, afirmou Toffoli.

“O Brasil não pode conviver com um clima de disputa permanente. É preciso paz para construir o futuro. A convivência harmônica entre todos é o que constrói uma grande nação.”

Nesta quarta-feira, Bolsonaro afirmou na sua conta no Facebook que usa o Whatsapp apenas para trocar mensagens pessoais e de forma reservada com poucas dezenas de amigos, e que qualquer “ilação” fora desse contexto é tentativa de tumultuar a República.

Última atualização por Bruno Andrade - 26/02/2020 - 18:38