Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Manuseto light repercute como “bomba” e Maia adia votação

09/04/2020 - 13:07
Rodrigo Maia
Maia afirmou que “a matéria tem ainda muita polêmica, muita gente querendo incluir temas de municípios, outros querendo tirar” (Imagem: Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados)

A repercussão negativa do projeto de auxílio a Estados e municípios que ficou conhecido como Mansueto light, mas também foi referido como “bomba” e “mãesueto”, colocou sua votação em banho maria e forçou o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), a uma nova rodada de negociação.

Segundo quatro parlamentares ouvidos pela Reuters, os impactos financeiros da proposta, que traz alívios a Estados e municípios como a suspensão de dívidas e a compensação da queda de arrecadação do ICMS no curto prazo, foram encarados pela equipe econômica como uma “bomba fiscal” e pesaram no adiamento da votação da proposta para a próxima semana.

De outro lado, há ainda o componente político. Na véspera, ao adiar a votação da proposta para a manhã desta quinta-feira, Maia afirmou que “a matéria tem ainda muita polêmica, muita gente querendo incluir temas de municípios, outros querendo tirar”.

Segundo o relato de uma liderança, há divergência entre parte das bancadas no Estados sobre a transferência de um volume tão alto de recursos a Estados sem a exigência de contrapartida –a única trava do texto atual diz respeito à proibição de aumentos salariais.

Diante da falta de acordo, o presidente da Câmara decidiu adiar mais uma vez a análise do projeto, dessa vez para a segunda-feira. Enquanto isso, relata uma fonte que acompanha as negociações, Maia articula ajustes no texto para deixar clara a delimitação da destinação dos recursos para a área da saúde e apenas durante o período da crise do coronavírus. Também estuda a exigência de contrapartidas.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Última atualização por Bruno Andrade - 09/04/2020 - 13:07