Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Mercado de aviação chinês agora é menor que o de Portugal

18/02/2020 - 8:24
Companhias aéreas reduziram capacidade por causa da epidemia que teve origem na província de Hubei, o que abalou o setor (Imagem: Unsplash/@thedotter)

O mercado de aviação da China, projetado para ultrapassar os Estados Unidos nesta década e se tornar o maior do mundo, encolheu tanto devido ao surto de coronavírus que caiu do terceiro para o 25º lugar, atrás de Portugal.

Companhias aéreas reduziram capacidade por causa da epidemia que teve origem na província de Hubei, o que abalou o setor.

Cerca de 1,7 milhão de assentos – quase 80% da capacidade – foram eliminados dos serviços chineses entre 20 de janeiro e 17 de fevereiro por companhias aéreas globais, de acordo com a OAG Aviation Worldwide. Enquanto isso, companhias aéreas chinesas reduziram 10,4 milhões de assentos no mercado interno.

“Não lembramos de nenhum evento com um efeito tão devastador na capacidade como o coronavírus”, disse John Grant, analista sênior da OAG, em relatório. “Sob muitos aspectos, destaca a importância do mercado chinês para a aviação e a rápida globalização dos serviços aéreos com o surgimento de novos mercados e viajantes.”

Muitas companhias aéreas suspenderam voos para a China em uma tentativa de conter o vírus, que matou quase 1,9 mil pessoas no país e infectou mais de 72 mil.

Bandeira de Portugal
China reduziu capacidade internacional entre 80% e 90% e agora iguala-se a Portugal (Imagem: Pixabay)

O número total de assentos da China para Hong Kong e Taiwan caiu em 250 mil em cinco semanas, enquanto as três principais companhias aéreas do país reduziram a capacidade internacional entre 80% e 90%, segundo a OAG.

Após os cortes, a China Southern Airlines opera apenas cerca de 800 assentos a mais em rotas internacionais do que a Air Astana, do Cazaquistão, enquanto a China Eastern Airlines está logo à frente da Tunis Air, escreveu Grant. Ambas as operadoras chinesas reduziram a capacidade em mais de 200 mil assentos por semana por causa do vírus, segundo a OAG.

“Os danos a algumas companhias aéreas e o impacto a longo prazo em seu crescimento podem durar além do vírus”, disse Grant.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Última atualização por Lucas Simões - 18/02/2020 - 8:24