Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Mercados esperam sinais positivos de Trump em discurso sobre comércio

12/11/2019 - 8:33
Mercados Wall Street
Mercados acionários dos EUA atingiram máximas recordes nas últimas semanas diante das expectativas de que a Casa Branca e o governo chinês estariam perto de um acordo comercial (Imagem: Reuters/Brendan McDermid)

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, irá discutir a política comercial do país no Clube Econômico de Nova York nesta terça-feira, e os mercados devem se atentar a cada palavra.

O discurso de Trump, assim como o de líderes estrangeiros como o ex-presidente soviético Mikhail Gorbachev  e o primeiro-ministro chinês Li Keqiang, será observado de perto por investidores ansiosos por qualquer notícia positiva sobre a guerra comercial com a China.

“Pode-se esperar que o presidente destaque como suas políticas de impostos mais baixos, desregulação e comércio justo e recíproco sustentaram a recuperação econômica mais longa na história dos EUA com desemprego em mínima recorde, alta dos salários e aumento da confiança do consumidor”, disse o porta-voz da Casa Branca, Judd Deere. Ele se recusou a dar mais detalhes.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Os mercados acionários dos EUA atingiram máximas recordes nas últimas semanas diante das expectativas de que a Casa Branca e o governo chinês estariam perto de um acordo comercial.

Na semana passada, autoridades de ambos os lados disseram que tinham um acordo para reverter tarifas, mas Trump na sequência negou que houvesse fechado qualquer acordo.

Um discurso positivo sobre o comércio entre EUA e China deve satisfazer os participantes do mercado mesmo sem detalhes específicos sobre a “fase um” de um acordo sob negociação, disse Jim Paulsen, presidente de investimento do The Leuthold Group.

“Ainda parece que estamos muito perto de ter algo fechado”, disse Paulsen na segunda-feira. “Mesmo que seja inexpressivo, será relevante.”

Última atualização por Lucas Simões - 12/11/2019 - 9:31