Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Mineradora africana RioZim já vê retomada da demanda por diamantes

26/08/2020 - 12:28
Diamantes - RioZim
Com o mercado de gemas em crise, os acionistas da RioZim mantêm a empresa em operação por meio de empréstimos-ponte (Imagem: Reprodução/RioZim)

A RioZim, segunda maior mineradora de diamantes do Zimbábue, vê aumento da demanda após ter paralisado as vendas em março por causa da queda dos preços das pedras em meio à pandemia do coronavírus.

Com joalherias fechadas, lapidadores confinados em casa e o turismo internacional impedido, a indústria de diamantes parou nos últimos seis meses. Enquanto a De Beers, maior produtora global, decidiu baixar o preço dos diamantes esta semana para impulsionar as vendas, a RioZim afirma que a demanda dos consumidores por pedras polidas já está se recuperando.

“Na verdade, acelerou com força em algumas partes do mundo”, afirmou Wilson Gwatiringa, porta-voz da RioZim, por email. “Como resultado, esperamos recuperação iminente na demanda por diamantes brutos.”

Com o mercado de gemas em crise, os acionistas da RioZim mantêm a empresa em operação por meio de empréstimos-ponte. A produção da unidade Murowa Diamonds foi estocada, segundo Gwatiringa. Projetos foram colocados em modo de espera, embora a RioZim agora contemple uma expansão em duas fases que dobraria sua produção de diamantes, acrescentou o porta-voz.

Uma primeira fase, com custo de US$ 52 milhões, prolongaria a vida útil da mina Murowa — localizada 348 quilômetros a sudeste da capital Harare — dos atuais 14 meses para quatro anos, disse Gwatiringa. Ainda em planejamento, a segunda fase, com custo de US$ 400 milhões, avançaria a construção da maior mina subterrânea de diamantes do país.

O projeto aumentaria a produção para 2,5 milhões de quilates, ou 10 vezes a quantidade produzida quando a Rio Tinto Group era proprietária da mina. Sua vida útil também seria estendida em pelo menos 10 anos, de acordo com Gwatiringa.

A mineração é importante geradora de divisas para o Zimbábue, que enfrenta falta de alimentos e combustível, escalada da inflação e implosão da moeda local. A RioZim parou a produção em minas de ouro em junho, argumentando que não consegue arcar com os custos por causa da política cambial do governo.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Diana Cheng - 26/08/2020 - 12:28