Comprar ou vender?

Mineradora garante: Vai crescer pagando dividendos, mas Itaú comprou ideia?

13 dez 2023, 13:17 - atualizado em 13 dez 2023, 13:17
Aura Minerals
O Itaú BBA tem recomendação de compra para as BDRs da Aura, com preço-alvo de R$ 50 (Imagem: Reprodução/ Site)

A Aura Minerals (AURA33), mineradora canadense que atua na exploração de ouro, realizou o seu Dia do Investidor. Presentes no evento, analistas do Itaú BBA gostaram do que viram.

Em relatório enviado a clientes, os analistas, liderados por Daniel Sasson, destacam que o balanço confortável permite projetos de crescimento e retorno aos acionistas.

A administração destacou que gerenciamento espera continuar a proporcionar retornos sólidos aos acionistas por meio de dividendos.

“De acordo com Aura, é improvável que o sólido pipeline de projetos de crescimento afete a capacidade da empresa de continuar a pagar dividendos”, coloca.

A Aura espera que a alavancagem permaneça abaixo de 1,5x dívida líquida/Ebitda (resultado operacional) em seu pico, visto que as minas Almas e Borborema impulsionarão o Ebitda da empresa.

  • Por que é hora de vender Santander (SANB11)? Larissa Quaresma, analista da Empiricus Research, recomenda outro bancão preferido para investir agora no Giro do Mercado desta quarta-feira (13), saiba mais clicando aqui: 

Três pilares sustentam a Aura Minerals

De acordo com a administração, a gestão da Aura tem trabalhado em três pilares principais para desbloquear valor. São eles:

  • crescimento da produção com execução de projetos. A Aura está focada na entrega de seus próximos projetos de crescimento, nomeadamente Borborema (ROE estimado de 52%) e Matupá (ROE estimado de 50%), o que permitiria à Aura aumentar sua produção para 450 kGEO até o ano de 25;
  • crescimento do ouro e do cobre descobertos. A Aura continua a realizar trabalhos de perfuração e exploração para melhorar a vida útil da mina. Na verdade, a empresa quer aumentar os seus investimentos em exploração, de um total de US$ 9,1 milhões em 2017-20 para US$ 25 milhões de dólares em 2023;
  • aumento do múltiplo de avaliação. De acordo com a Aura, nomes de ouro de médio e grande porte são negociados a múltiplos de 40% a 80% mais altos do que os produtores menores. Portanto, o CEO, Rodrigo Barbosa, acredita que a entrega de projetos de crescimento e potenciais fusões e aquisições poderia se traduzir em uma reavaliação da Aura.

O Itaú BBA tem recomendação de compra para as BDRs da Aura, com preço-alvo de R$ 50, potencial de disparada de 50% ante o último fechamento.

Editor-assistente
Formado pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, cobre mercados desde 2018. Ficou entre os 50 jornalistas +Admirados da Imprensa de Economia e Finanças das edições de 2022 e 2023. É editor-assistente do Money Times. Antes, atuou na assessoria de imprensa do Ministério Público do Trabalho e como repórter do portal Suno Notícias, da Suno Research.
Linkedin
Formado pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, cobre mercados desde 2018. Ficou entre os 50 jornalistas +Admirados da Imprensa de Economia e Finanças das edições de 2022 e 2023. É editor-assistente do Money Times. Antes, atuou na assessoria de imprensa do Ministério Público do Trabalho e como repórter do portal Suno Notícias, da Suno Research.
Linkedin