ImóvelTimes

Mitre (MTRE3) atinge recorde de vendas em 2023; veja a prévia

15 jan 2024, 20:18 - atualizado em 15 jan 2024, 20:18
mitre-mtre3-construção-civil
Mitre reporta R$ 1,91 bilhão em vendas brutas em 2023 (Imagem: Mitre/Divulgação)

A Mitre (MTRE3) reportou recorde de R$ 1,91 bilhão em vendas brutas em 2023, alta e 20,9% em relação a 2022, aponta a prévia operacional divulgada pela companhia nesta segunda-feira (15).

As vendas líquidas, desconsiderando comissões e distratos, teve avanço de 25,9% em base anual, a R$ 1,04 bilhão.

No quarto trimestre de 2023, as vendas líquidas representaram R$ 314,2 milhões, leve queda de 1,7% sobre o mesmo período do ano anterior, mas avanço sequencial de 4,7%.

O indicador de vendas sobre oferta, VSO, fechou em 31,4% em 2023, “patamar saudável e aderente ao planejamento de sermos uma empresa com baixo estoque pronto”, comentou a Mitre. A VSO do trimestre fechou em 12,2%.

AS MELHORES AÇÕES DA BOLSA PARA 2024: Analista revela 4 empresas para investir agora e explica por que continuar otimista com a bolsa brasileira; confira no Giro do Mercado desta segunda-feira (15):

Os lançamentos em 2023 somaram R$ 1,6 bilhão em valor geral de vendas (VGV), avanço de 15,1% sobre 2022. No trimestre, o montante lançado foi de R$ 660,3 milhões.

Excluindo comissões, o VGV de lançamentos no trimestre e em 2023 atingiu R$ 619,7 milhões e R$ 1,5 bilhão, respectivamente.

Ao fim do quarto trimestre de 2023, o estoque da Mitre totalizou 2.393 unidades, equivalente a um VGV de R$ 2,1 bilhões, impactado pela entrada do Haus Mitre Edition NY no estoque, maior projeto lançado pela Mitre até então.

“Em contrapartida, o giro de estoque da Mitre é bastante saudável, de forma que o estoque é composto majoritariamente por projetos a serem entregues a partir de 2025”, reforçou a companhia. “Nosso estoque pronto permanece baixo, com 71 unidades ao final do quarto trimestre de 2023, que equivalem a apenas 2% do VGV em estoque.”

Editora-assistente
Formada em Jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Atua como editora-assistente do Money Times há pouco mais de três anos cobrindo ações, finanças e investimentos. Antes do Money Times, era colaboradora na revista de Arquitetura, Urbanismo, Construção e Design de interiores Casa & Mercado.
Linkedin
Formada em Jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Atua como editora-assistente do Money Times há pouco mais de três anos cobrindo ações, finanças e investimentos. Antes do Money Times, era colaboradora na revista de Arquitetura, Urbanismo, Construção e Design de interiores Casa & Mercado.
Linkedin