MP da venda direta de etanol passa na Câmara e vai ao Senado, onde já tem decreto aprovado sobre o tema

26/11/2021 - 9:15
Usinas processadoras de etanol de cana e de milho vão vender diretamente aos postos definitivamente, com aprovação de MP (Imagem: REUTERS/Juan Carlos Ulate)

A venda direta de etanol das usinas aos postos já está valendo, mas até dia 9 de novembro deverá deixar de estar em vigência sob Medida Provisória, quando o Senado votar sua aprovação.

Como na noite de ontem foi aprovada na Câmara dos Deputados, sem sustos, e os senadores já se manifestaram favorável em decreto legislativo de 2018, o presidente da Feplana, Alexandre Lima não crê que haverá retrocesso.

A MP, editada pelo presidente Jair Bolsonaro, em agosto, relatada pelo deputado Augusto Coutinho (Solidariedade PE), também acaba com a obrigatoriedade de os postos de bandeiras comprarem combustíveis, em geral, apenas de suas próprias redes.

O fim da obrigatoriedade da comercialização da hidratado somente pelas distribuidoras “certamente barateará os preços para os consumidores, pois não haverá a margem de lucro da intermediação”, defende o presidente da entidade nacional dos plantadores de cana.

A lei não eliminará a opção de as usinas continuarem vendo todo seu etanol, ou parte dele, para as distribuidoras.

Também não haverá renúncia fiscal para os erários estaduais e federais, nem prejuízo em relação à qualidade.

Última atualização por Giovanni Lorenzon - 26/11/2021 - 9:15

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado agro?
Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.
Cotações Crypto
Pela Web