No giro das commodities, açúcar e café seguem na ponta compradora; soja e milho, na vendedora

30/08/2021 - 8:22
Açúcar
Açúcar abre forte os negócios em Nova York amparado na quebra expressiva do Brasil (Imagem: REUTERS/Juan Carlos Ulate)

O açúcar está saindo forte das operações da madrugada em Nova York, tanto como o café, enquanto a soja e o milho caem em Chicago, em linha com o que se esperava ao final dos negócios da sexta.

Enquanto os mercados financeiros estão absorvendo a postura dovish de Jerome Powel, do Federal Reserve (FED), em Jackson Hole, as commodities ficam atadas a seus fundamentos.

O açúcar de outubro avança mais de 2%, a 20,04 c/lp, diante da expectativa de déficit global de 4 milhões de toneladas, segundo organização internacional, amparado pela forte quebra brasileira.

O café, já dentro dos preços de ciclo brasileiro também muito fraco, segue com o clima seco e mais quente em boa parte do cinturão cafeeiro. Sobe 2%, a 192,20 c/lp, no dezembro.

A soja está em pequena queda, de 0,30%, a US$ 13,21 o bushel de novembro, com os traders vendo clima pouco mais úmido em plantações americanas, mas a cautela é a marca até que saia os dados finais de safra do governo.

O milho está em sentido de baixa com a safrinha brasileira começando a entrar no mercado. Embora também sendo menor, não deixa de ser um pouco mais de oferta.

Perde acima de 1%, em US$ 5,49 para liquidação em dezembro.           .

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado agro?
Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Giovanni Lorenzon - 30/08/2021 - 9:00

Cotações Crypto
Pela Web