Bilionários

O bilionário que pretende adotar ex-jardineiro e deixar uma fortuna de R$ 27,5 bilhões para ele

18 dez 2023, 9:42 - atualizado em 18 dez 2023, 9:42
Bilionário
O bilionário considera o ex-funcionário como um filho, assim como a esposa do antigo ‘faz-tudo’ (Imagem: Pixabay/ @StockSnap)

Nicolas Puech, herdeiro da companhia de luxo Hermès, pretende adotar o seu ex-jardineiro e faz-tudo — não identificado –, de 51 anos, para deixar parte de sua fortuna a ele, segundo uma publicação recente do jornal suíço Tribune de Genéve.

De acordo com a publicação, o bilionário possui 5,7% da companhia, o que apesar de parecer pouco, faz dele o maior acionista individual da Hermès.

O patrimônio líquido de Puech, segundo estimativas da Forbes, atinge a ordem de US$ 11,2 bilhões (cerca de R$ 55 bilhões).

O processo de adoção está em fase inicial e segundo a matéria, se for bem-sucedido, desse total, metade estão endereçados para o antigo funcionário, cerca de US$ 5,6 bilhões (R$ 27,5 bilhões).

  • Eletrobras (ELET6), Alupar (ALUP11) e outras vão a disputa em leilão de transmissão; qual das ações é a mais recomendada para aproveitar o momento? Confira em qual delas investir no Giro do Mercado, é só clicar aqui: 

O ex-funcionário de Puech é natural de Marrocos e, ainda segundo a reportagem, ele se casou e teve dois filhos. O jornal disse ainda que o casal se tornou a única família do endinheirado, que se referia a ambos como “filhos” e “filho adotivo”.

O herdeiro da Hermès já presenteou o casal com mais de 1,5 milhões de euros, para que comprassem uma vila em Marrakech, uma quantia que, em reais, resulta em nada menos que R$ 7,7 bilhões.

Quem é o bilionário que quer adotar ex-funcionário?

Puech tem 80 anos, é solteiro e sem filhos. É descendente de Thierry Hermés, que fundou a Hermés em 1837 — inicialmente, como um negócio de selas para cavalos.

Segundo à Forbes, o bilionário abdicou ao conselho de administração da companhia em 2014.

No mesmo ano, a Hermès e a outra gigante no mercado de luxuosos, LVMH, dona de marcas como Louis Vuitton, Fendi e Christian Dior, firmaram um acordo para distribuir a participação de 23% da LVMH na Hermes aos seus acionistas.

O processo deu início a uma novela que se perdurou por quatro anos, quando a LVMH acumulou ações sem o conhecimento da Hermès. A confusão, de acordo com à Forbes, abriu margem para especulações de que o CEO da LVMH, Bernard Arnault, estava com planos de aquisição.

Repórter
Graduanda em jornalismo pela Universidade Estácio de Sá. Tem experiência cobrindo mercados, ações, investimentos, finanças, negócios, empreendedorismo, franquias, cultura e entretenimento. Ingressou no Money Times em 2021.
Linkedin
Graduanda em jornalismo pela Universidade Estácio de Sá. Tem experiência cobrindo mercados, ações, investimentos, finanças, negócios, empreendedorismo, franquias, cultura e entretenimento. Ingressou no Money Times em 2021.
Linkedin