Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Os cinco “queridinhos”: veja a seleção da Terra de fundos imobiliários para janeiro

06/01/2020 - 14:15
São Paulo Imóveis
Analistas elegem cinco fundos imobiliários favoritos para o mês (Imagem: Unsplash/@andrenoboa)

“Esta carteira é recomendada para quem gosta de investir no mercado imobiliário e quer contar com vantagens fiscais, maior liquidez e sem a burocracia de ter que gerenciar um imóvel”.

A afirmação é da Terra Investimentos, em relatório contendo a carteira recomendada de fundos imobiliários para janeiro, no qual os analistas Régis Chinchila e Sandra Peres apresentam suas recomendações para o primeiro mês de 2020.

A instituição retirou o fundo imobiliário GGR Covepi Renda (GGRC11) da lista de preferidas e optou por redistribuir os pesos da carteira dos seguintes ativos: BTG Pactual Fundo De Fundos (BCFF11); RBR Rendimento High Grade (RBRR11) e TG Ativo Real (TGAR11).

Chegou a nova newsletter Comprar ou Vender

As melhores dicas de investimentos, todos os dias, em seu e-mail!

Os cinco ativos da carteira contam com participação de 20%.

Kinea Rendimentos Imobiliários

O primeiro fundo imobiliário escolhido foi o Kinea Rendimentos Imobiliários (KNCR11). Do tipo “papel”, os gestores somente investem em outros ativos do mercado imobiliários, como CRIs (Certificados de Recebíveis Imobiliários) e LCIs (Letras de Crédito Imobiliário).

A taxa de administração deste fundo é de 1% ao ano sobre o PL (Patrimônio Líquido) e possui como política de distribuição de dividendos o mínimo de 95% dos rendimentos auferidos.

Fundos de “papel” investem em ativos não tangíveis (Imagem: Unsplash/@jonfinlay)

CSHG Real Estate

A segunda recomendação da Terra Investimentos é o fundo imobiliário CSHG Real Estate (HGRE11), de gestão ativa e do tipo “tijolo”.

Desta forma, os gestores podem vender e comprar imóveis físicos indiscriminadamente, com foco principal em escritórios comerciais, conhecido no meio dos fundos imobiliários como “lajes corporativas”.

TG Ativo Real

O TG Ativo Real (TGAR11) é composto por investimentos em imóveis físicos e palpáveis, sendo desta forma um fundo imobiliário do tipo “tijolo”.

“Fundos de desenvolvimento como o TG Ativo Real são fundos imobiliários que possuem um maior nível de risco”, avaliam Chinchila e Peres, ressaltando como contraparte a possibilidade de “maior potencial de retorno”.

Fundos de “tijolo” investem em propriedades físicas do mercado imobiliário (Imagem: Unsplash/@ckturistando)

A taxa de administração é de 1,5% ao ano e a taxa de performance é 30% do que exceder 100% do CDI.

BTG Pactual Fundo de Fundos

A quarta escolha da Terra Investimentos é o BTG Pactual Fundo de Fundos, composto por investimentos em ativos não tangíveis e concretos do mercado imobiliário, como os CRIs, LCIs e as letras hipotecárias.

A taxa de administração deste fundo é de 0,15% ao ano, com taxa de gestão de 1,1% do PL e a escrituração de 0,3% ao ano.

Taxas de administração, gestão e performance devem ser levadas em conta (Unsplash/@shotbycerqueira)

O fundo tem como política distribuir aos cotistas o mínimo de 95% dos rendimentos auferidos.

RBR Rendimento High Grade

O RBR Rendimento High Grade é um fundo imobiliário do tipo “papel” e possui gestão ativa, sendo que 67% dos investimentos devem ser em CRIs.

Três taxas incidem sobre o fundo: a taxa de administração, de 0,2% ao ano; a taxa de gestão, de 0,8% ao ano e taxa de performance, de 20% o excedente do CDI.

Confira a carteira recomendada para janeiro:

Código do ativo Nome do fundo Segmento Peso
KNCR11 Kinea Rendimentos Imobiliários Recebíveis 20%
HGRE11 CSHG Real Estate Escritórios 20%
TGAR11 TG Ativo Real Recebíveis 20%
BCFF11 BTG Pactual Fundo De Fundos Fundo de Fundos 20,00%
RBRR11 RBR Rendimento High Grade Recebíveis 20%

Última atualização por Valter Outeiro da Silveira - 10/01/2020 - 14:12