Internacional

‘Paciência é uma virtude’ e Fed deve usá-la para começar cortar juros; veja o que esperar do Fomc de quarta (12)

11 jun 2024, 18:20 - atualizado em 12 jun 2024, 12:12
juros fed federal reserve fomc estados unidos eua
Mercado já está convencido de uma manutenção nos juros dos Estados Unidos na decisão do Fed de quarta (12)(Imagem: Kevin Dietsch/Pool via Reuters/File Photo)

Mais uma reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) se aproxima e, mais uma vez, o mercado já está convencido de uma manutenção nos juros dos Estados Unidos (EUA).

Um dia antes da decisão, que será divulgada às 15h (horário de Brasília) de quarta-feira (12), 99,4% do mercado espera a manutenção da taxa no atual patamar de 5,25% a 5,50%, segundo os dados da ferramenta CME FedWatch Tool.

O primeiro corte do ciclo, de 0,25 ponto percentual (p.p.), é projetado apenas para setembro — com 48,3% de chances.

Na análise do Bank of America (BofA), com a expectativa geral de que as taxas permanecerão inalteradas, o foco está na orientação do Federal Reserve (Fed). “Esperamos que sejam feitas poucas alterações à declaração e o presidente Powell continue a sinalizar que os cortes são o próximo movimento provável”, afirma a equipe global de pesquisa do banco.

No entanto, dado que a inflação permanece acima da meta e a atividade segue robusta, o banco central norte-americano pode ter paciência ao determinar quando irá ajustar os juros. “Paciência é uma virtude”, dizem.

Em linha, o economista-chefe da Julius Baer, David Kohl, avalia que o Fed deve enfatizar que ainda não há provas suficientes de que a inflação tenha caído o suficiente. Ao mesmo tempo, deve reiterar o compromisso de ajustar a política monetária se os dados econômicos derem espaço para uma orientação política mais flexível.

Kohl destaca ainda que o mercado de trabalho dos EUA tem enviado mensagens contraditórias. “Apesar dessa contradição superficial, continuamos a encarar a evolução atual do mercado de trabalho como uma moderação. Teve arrefecimento do mercado de trabalho, mas os ganhos salariais têm sido sólidos, proporcionando um vento favorável ao rendimento pessoal”, ressalta.

O foco da reunião desta semana serão o resumo das projeções econômicas atualizado e a trajetória política apropriada dos membros do FOMC.

Quando vão começar os cortes de juros nos EUA?

Os economistas avaliam que os corte de juros dos EUA devem voltar em setembro deste ano.

“Uma avaliação mais ampla dos dados do mercado de trabalho sugere que os principais ganhos em termos de emprego são exagerados. A ambivalência nos dados econômicos irá certamente desencorajar a Fed de alterar a política na reunião do Fomc desta semana, ao mesmo tempo que apoia a defesa de um corte nas taxas na reunião de setembro”, diz o economista da Julius Baer.

O banco espera apenas dois cortes na taxa em 2024. “Mantemos a nossa opinião de que um novo aumento da taxa de desemprego e uma descida da inflação permitirão ao Fed reduzir a taxa em 0,25 p.p. na reunião de setembro”, afirma.

O BofA, por sua vez, avalia que as projeções econômicas mostram um crescimento ligeiramente mais lento, assim como desemprego e inflação mais elevados no ano. Apesar disso, também espera dois cortes de juros, mas alerta que esse número pode cair para um. “O risco de haver um corte é alto”.

No longo prazo, a Julius Bear projeta que a taxa se aproxime de 3% ou 2,5% e o BofA espera que fique na faixa de 4% a 4,5% entre cinco e 10 anos.

Editora-assistente
Editora-assistente no Money Times e graduanda em Jornalismo pela Unesp - Universidade Estadual Paulista. Entrou para a área de finanças e investimentos em 2021.
Linkedin
Editora-assistente no Money Times e graduanda em Jornalismo pela Unesp - Universidade Estadual Paulista. Entrou para a área de finanças e investimentos em 2021.
Linkedin
Giro da Semana

Receba as principais notícias e recomendações de investimento diretamente no seu e-mail. Tudo 100% gratuito. Inscreva-se no botão abaixo:

*Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.