Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Paschoalloto, especializada em cobranças, pede registro de IPO à CVM

21/10/2020 - 15:31
Real Moedas
Origem: serviços de cobrança são o principal negócio da Paschoalloto (Imagem: Reuters/Sergio Moraes)

A Paschoalloto Serviços Financeiros também se prepara para abrir o capital. A companhia protocolou seu pedido de oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) na CVM (Comissão de Valores Mobiliários) nesta quarta-feira (21).

O pedido foi acompanhado pela minuta do prospecto preliminar da operação, que prevê uma oferta primária (recursos que, efetivamente, serão injetados no seu caixa) e uma oferta secundária (dinheiro que irá para os acionistas que venderem seus papéis no IPO).

O principal negócio da Paschoalloto é a recuperação de crédito e cobrança. A companhia detém 15,9% de participação de mercado, o que a coloca como líder, segundo a consultoria Oliver Wyman.

No começo, a Paschoalloto prestava serviços para bancos e empresas do setor financeiro. Com o tempo, passou a atender também clientes dos setores de energia, educação, saneamento, fintechs e varejistas. A companhia estima que seu mercado potencial é de R$ 5 bilhões.

Endividamento cresceu

A receita líquida, no acumulado de janeiro a setembro, somou R$ 418,3 milhões. A cifra é 28% maior que a de igual período do ano passado. O lucro líquido, R$ 27,5 milhões, manteve-se praticamente estável.

O ebitda subiu de R$ 84,6 para R$ 97,9 milhões, mas a margem ebitda recuou 2,5 pontos percentuais, para 23,4%. Ironicamente, a especialista em cobranças está mais endividada, na comparação com um ano atrás. A dívida líquida saltou de R$ 92 milhões para R$ 218,2 milhões.

A Paschoalloto pretende utilizar os recursos captados no IPO para expandir as operações, inclusive por meio de aquisições. Outra parte do dinheiro será aplicada em tecnologia e digitalização dos negócios.

 

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Márcio Juliboni - 21/10/2020 - 15:31