Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Fast

PayJoy: startup que usa celular como garantia para financiamento estreia no Brasil

08/12/2019 - 16:39
A PayJoy licencia aos parceiros comerciais o uso de uma tecnologia que permite que celulares se tornem uma garantia para a compra do próprio aparelho (Imagem: Marcello Casal Jr)

A startup norte-americana PayJoy acaba de iniciar suas operações no Brasil. Atuando em mais de dez países, dentre eles África do Sul, Índia e Indonésia, a empresa passa a oferecer a operadoras, varejistas e empresas financeiras brasileiras uma tecnologia que permite o financiamento de celulares e empréstimo pessoal usando o próprio aparelho como garantia.

Fundada em 2015 em São Francisco (EUA) por Doug Ricket, ex-Google, e cofundada por Gib Lopez e Mark Heynen, a PayJoy totaliza mais de US$ 70 milhões captados. Dentre seus investidores estão o Santander InnoVentures, Assurant, Mindset Ventures e Orange Digital Ventures.

Dados levantados pela própria empresa apontaram que sua tecnologia consegue impulsionar a inclusão financeira e melhorar três indicadores-chave para os parceiros: aumento nas vendas de aparelhos de celulares, elevação no preço médio de venda dos mesmos e crescimento da participação no mercado.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Segundo a PayJoy, houve uma redução significativa da taxa de inadimplência e um aumento na propensão dos consumidores em efetuar os pagamentos no México, região em que a empresa iniciou sua primeira operação.

“Apostamos no Brasil porque é um país com mercado gigantesco e bastante promissor para nossa tecnologia, principalmente porque reúne um alto interesse pela categoria de celulares por parte dos consumidores e grande parcela da população não possui acesso a crédito ou mesmo à conta bancária”, explica Heynen, atual CBO da startup.

Da esquerda para a direita: Mark Heynen, cofundador e CBO da PayJoy, Doug Ricket, fundador e CEO da PayJoy, e Gib Lopez, cofundador e COO da PayJoy (Imagem: Divulgação/PayJoy)

Como funciona?

Usando o modelo de negócio Business to Business (B2B), a PayJoy licencia aos parceiros comerciais o uso de uma tecnologia que permite que celulares se tornem uma garantia para a compra do próprio aparelho ou empréstimo pessoal.

Em caso de não pagamento, as empresas podem limitar as funcionalidades dos dispositivos e de seus aplicativos.

As regras do bloqueio e os valores dos empréstimos são definidos pelos próprios parceiros. Dessa forma, elas podem variar conforme cada caso.

Adicionalmente, pode ser contratado o Score, recurso que possibilita ao varejista traçar um perfil de crédito mais preciso de seus consumidores.

Última atualização por Diana Cheng - 17/12/2019 - 10:04