Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

PGR abre apuração preliminar sobre movimentações em gabinete de Bolsonaro quando deputado

16/09/2020 - 20:51
Jair Bolsonaro
Formalmente, Bolsonaro não é investigado (Imagem: REUTERS/Adriano Machado)

A Procuradoria-Geral da República (PGR) abriu apuração preliminar para verificar supostas irregularidades na contratação de assessores do presidente Jair Bolsonaro em seu gabinete na Câmara quando era deputado federal, informou o órgão nesta quarta-feira.

A PGR recebeu uma representação que se refere a supostos fatos que teriam ocorrido entre 1991 e 2018, que foram divulgados em julho pelo jornal Folha de S.Paulo.

Segundo a representação, funcionários eram contratados por um determinado valor, depois exonerados, e então recontratados posteriormente por um salário maior.

A representação foi autuada no órgão como notícia de fato, uma espécie de apuração preliminar. Formalmente, Bolsonaro não é investigado.

Segundo a PGR, o procurador-geral da República, Augusto Aras, comunicou o Supremo Tribunal Federal (STF) que o presidente não pode ser investigado porque os fatos se referem a questões anteriores a seu mandato presidencial.

Procurada, a Advocacia-Geral da União (AGU) informou que não fora intimada até o momento

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.
Leia mais sobre: AGU, Jair Bolsonaro, Justiça, PGR, Reuters, STF

Última atualização por André Luiz - 16/09/2020 - 20:51