Relatório Focus

PIB irá surpreender em 2024? Mercado eleva projeções; confira o Focus desta segunda (8)

08 jan 2024, 8:39 - atualizado em 08 jan 2024, 8:39
focus inflacao banco central pib
Relatório Focus: Para 2024, a projeção da inflação permanecem em 3,90%, enquanto PIB sobe; já a Selic deve encerrar o ano em 9%. (Imagem: Agência Brasil)

O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro pode voltar a surpreender neste ano. Segundo os dados do Relatório Focus, o mercado revisou para cima as projeções da atividade econômica, passando de 1,52% para 1,59%.

Os economistas ouvidos pelo Banco Central mantiveram as projeções para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). As apostas são que o ano fechará com a inflação em 3,90%. Para 2025, a projeção permanece em 3,50%.

Vale lembrar que, a previsão de inflação voltou para dentro do teto da meta: as metas de inflação para 2024 e 2025 são de 3% conforme estabelecido pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

Já a Selic deve encerrar o ano em 9%, sugerindo mais cortes de 0,50 ponto percentual por parte do Comitê de Política Monetária (Copom). Para 2025 e 2026, a projeção é de que a taxa básica de juros se mantenha em 8,50% ao ano.

Além disso, a projeção para o dólar permanece em R$ 5.

Confira as projeções do Relatório Focus desta segunda-feira (8)

IPCA

  • 2024: permanece 3,90%
  • 2025: permanece em 3,50%
  • 2026: permanece em 3,50%

PIB

  • 2024: de 1,52% para 1,59%
  • 2025: permanece em 2%
  • 2026: permanece em 2%

Selic

  • 2024: permanece 9%
  • 2025: permanece em 8,50%
  • 2026: permanece em 8,50%

Dólar

  • 2024: permanece em R$ 5
  • 2025: de R$ 5,03 para R$ 5
  • 2026: permanece em R$ 5,10

Editora-chefe
Formada em Jornalismo pela PUC-SP, tem especialização em Jornalismo Internacional. Atua como editora-chefe no Money Times e já trabalhou nas redações do InfoMoney, Você S/A, Você RH, Olhar Digital e Editora Trip.
Linkedin
Formada em Jornalismo pela PUC-SP, tem especialização em Jornalismo Internacional. Atua como editora-chefe no Money Times e já trabalhou nas redações do InfoMoney, Você S/A, Você RH, Olhar Digital e Editora Trip.
Linkedin