Preço da celulose não cai nem tão cedo, então é bom manter Suzano e Klabin

09/06/2021 - 15:25
Klabin KLBN11
Olhando para o mercado, os preços líquidos da fibra curta na China saltaram US$ 4,1 por tonelada em termos semanais, além de restrições logísticas no radar. Cenário farto às ações do setor (Imagem: Isac Nóbrega)

Já não é novidade que os investidores vivem às turras com o mercado de papel & celulose, ao passo que ações do ramo chegaram a até zerar virtualmente os ganhos no ano.

Entretanto, o Itaú BBA tem uma opinião forte no assunto: é bom manter Suzano (SUZB3) e Klabin (KLBN11) na mão.

Oferta e estoques de celulose estão pressionados e apontam para uma resiliência nos preços da commodity, segundo relatório ao qual o Money Times teve acesso.

Olhando para o mercado, os preços líquidos da fibra curta na China aumentaram em US$ 4,1 por tonelada em termos semanais (para US$ 779 por tonelada) no dia 04 de junho.

“De acordo com Hawkins Wright, uma carteira de pedidos satisfatória e restrições logísticas persistentes podem sustentar os níveis de preços atuais, à medida que os estoques são ajustados”, comentam os analistas Daniel Sasson, Ricardo Monegaglia, Edgard Pinto de Souza e Barbara Angerstein.

Dado o cenário, o Itaú BBA reitera recomendação outperform (desempenho acima do mercado) para as ações da Suzano e da Klabin no setor.

Empresa Código Recomendação Preço-alvo (R$) Valorização (%)
Suzano SUZB3 Compra 101 47
Klabin KLBN11 Compra 38 35

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado agro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Lucas Eurico Simões - 09/06/2021 - 15:28

Pela Web