ImóvelTimes

Preços dos imóveis aumentaram em maio; saiba quais são as cidades mais caras do Brasil

04 jun 2024, 10:03 - atualizado em 04 jun 2024, 10:03
preços de venda de imóveis residenciais curitiba maior alta
Quatro entre as cinco cidades com preço médio de venda mais caro estão localizadas em Santa Catarina (Imagem: Pxhere Ruslanch)

Em maio, o Índice FipeZAP reportou aumento de 0,74% nos preços de venda de imóveis residenciais de 50 cidades brasileiras. Desde o começo do ano, a alta é de 2,93%, com uma taxa maior ainda no acumulado de 12 meses, de 6,07%.

Os preços acumulados ficaram acima da variação do IGP-M/FGV, que registrou retração de 0,34%. Além disso, os números também estão acima da prévia da inflação ao consumidor, medida pelo IPCA-15, em alta de 3,91%.

Na comparação mensal, apenas três das 50 cidades monitoradas apresentaram recuo nos preços, sendo elas Campo Grande (-1,13%), Canoas (-0,20%) e Santa Maria (-0,01%), sendo as duas últimas cidades do Rio Grande do Sul intensamente afetadas pelas enchentes.

Enquanto isso, as que apresentaram as maiores altas mensais foram Curitiba (+1,88%), Goiânia (+1,47%) e Maceió (+1,27%). Anualmente, as cidades também figuram entre as maiores altas, mas em outra configuração, com Goiânia apresentando aumento de 14,20%, Maceió (+14,15%) e Curitiba (+13,27%).

Balneário Camboriú é a cidade com o maior preço médio de venda. Por lá, o preço gasto por metro quadrado atinge os R$ 13.145.

O índice acompanha a variação do preço médio de apartamentos prontos em 50 cidades do Brasil, com base em anúncios veiculados na internet.

Imóveis de um dormitório apresentam preços mais elevados

O preço médio calculado para as cidades observadas foi de R$ 8.967 por m², enquanto imóveis de um dormitório possuem preços ainda mais elevados, em média de R$ 10.593/m², em comparação com unidades com dois dormitórios, R$ 8.050/m².

Em São Paulo, cidade que apresentou alta de 0,72% na variação mensal, paga-se mais para morar no bairro do Itaim Bibi, uma média de R$ 17.354/m². Na cidade, é cobrado em torno de R$ 10.936 por m².

Já em Curitiba, Batel apresenta o m² mais caro da capital paranaense. Com alta anual de 20,4%, o ticket médio para o bairro atinge os R$ 13.539/m².

Enquanto isso, o bairro Marista, em Goiânia, cidade que apresenta a maior alta anual, é o mais caro, com moradores pagando uma média de R$ 10.170 por metro quadrado.

Saiba quais são as cidades com os maiores preços de venda residenciais

Cidade Preço médio de venda por cidade (R$/m²)
Balneário Camboriú (SC) 13.145
Itapema (SC) 12.841
Vitória (ES) 11.312
Florianópolis (SC) 11.261
Itajaí (SC) 11.107
São Paulo (SP) 10.936
Barueri (SP) 10.247
Rio de Janeiro (RJ) 10.077
Curitiba (PR) 9.845
Brasília (DF) 9.180
Maceió (AL) 8.726
Belo Horizonte (MG) 8.709
Vila Velha (ES) 8.593
São Caetano do Sul (SP) 8.125
São José dos Campos (SP) 7.990
Recife (PE) 7.950
Osasco (SP) 7.553
São José (SC) 7.543
Goiânia (GO) 7.496
Fortaleza (CE) 7.417
Niterói (RJ) 7.021
Santo André (SP) 6.934
Joinville (SC) 6.798
Santos (SP) 6.776
Porto Alegre (RS) 6.726
Manaus (AM) 6.667
Blumenau (SC) 6.511
Campinas (SP) 6.461
Diadema (SP) 6.368
João Pessoa (PB) 6.324
Guarulhos (SP) 6.319
São Bernardo do Campo (SP) 6.150
Guarujá (SP) 6.128
Salvador (BA) 6.082
Campo Grande (MS) 5.908
Praia Grande (SP) 5.860
Caxias do Sul (RS) 5.383
Jaboatão dos Guararapes (PE) 5.337
São José do Rio Preto (SP) 5.192
Contagem (MG) 5.065
Canoas (RS) 5.055
São José dos Pinhais (PR) 4.984
Santa Maria (RS) 4.924
Novo Hamburgo (RS) 4.906
Londrina (PR) 4.828
Ribeirão Preto (SP) 4.685
São Leopoldo (RS) 4.581
São Vicente (SP) 4.329
Pelotas (RS) 4.211
Betim (MG) 4.008

Estagiária
Jornalista em formação pela Universidade de São Paulo (ECA-USP). Apaixonada pela escrita e pelo audiovisual, ingressou no Money Times em 2023.
Linkedin
Jornalista em formação pela Universidade de São Paulo (ECA-USP). Apaixonada pela escrita e pelo audiovisual, ingressou no Money Times em 2023.
Linkedin
Giro da Semana

Receba as principais notícias e recomendações de investimento diretamente no seu e-mail. Tudo 100% gratuito. Inscreva-se no botão abaixo:

*Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.