Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Prejuízo da Gafisa cresce 85% e chega a R$ 23,5 milhões

11/08/2020 - 22:45
Gafisa
O Ebitda ajustado atingiu R$ 7,2 milhões, um avanço em relação aos R$ 4,1 milhões reportados no trimestre anterior (Imagem: Facebook/Gafisa)

O prejuízo líquido da Gafisa (GFSA3) ficou em R$ 23,5 milhões no segundo trimestre de 2020, um crescimento de 85% na comparação com o mesmo período de 2019, mostra um documento enviado ao mercado nesta terça-feira (11).

O resultado líquido, sem contar as despesas judiciais de R$ 19,3 milhões, foi de um prejuízo de R$ 4,2 milhões.

A receita líquida totalizou R$ 83,8 milhões no segundo trimestre de 2020, um aumento de 16,9% em relação ao valor reportado no trimestre anterior, resultado do andamento das obras no período. Em comparação com o ano anterior, houve uma queda de 15,9%, em função do menor volume de vendas.

O Ebitda ajustado atingiu R$ 7,2 milhões, um avanço em relação aos R$ 4,1 milhões reportados no trimestre anterior. Contudo, o resultado apresentou uma redução comparado aos R$ 37,5 milhões do mesmo período de 2019.

Lançamentos

A Gafisa explica que, após concluir um processo de reestruturação no começo do ano, havia planejado a inauguração da fase de crescimento com a retomada dos lançamentos no segundo trimestre. A pandemia, contudo, frustrou estas expectativas.

Os lançamentos foram adiados para o segundo semestre.

“Temos atualmente 3 empreendimentos em fase de pré-lançamento, com previsão de lançamento aindo no terceiro trimestre, com um VGV estimado total de R$ 288 milhões”, explica a empresa.

Vendas e distratos

As vendas brutas totalizaram R$ 41,4 milhões, um aumento de 6,8% na comparação com o início do ano. Por outro lado houve redução de 52,9% comparado ao mesmo período do ano anterior.

“Em relação às nossas vendas, a tendência foi de crescimento no final do trimestre, o que inclusive resultou nas vendas de julho terem sido o nosso melhor desempenho mensal nos últimos 18 meses”, explica a empresa.

Os distratos reportados foram de R$ 21,5 milhões, um aumento de 112,6% em relação ao primeiro trimestre de 2020 e redução de 32% na comparação anual.

“O aumento em relação ao último trimestre se explica em parte pelo maior volume de entregas do período, o que não implica em preocupação para a administração, e também pela pandemia do covid-19. A redução em relação ao ano anterior reflete os esforços que foram realizados no processo de reestruturação de 2019”, diz a companhia.

As Vendas Sobre Oferta (VSO) foram de 2,3%, uma queda de 0,9 ponto percentual comparado ao começo de 2020 e de 2,7 p.p. na comparação anual.

“Mesmo após uma desaceleração, acreditamos que esse valor deverá apresentar uma melhora com a retomada dos lançamentos da companhia, que além de disponibilizar novos produtos, costuma ter um impacto positivo na venda de unidades em estoque”, avalia a Gafisa.

Veja o resultado:

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Gustavo Kahil - 11/08/2020 - 22:45