Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Coin DTVM

Presidente da Argentina diz que negociação sobre dívida pública pode ser prorrogada

10/06/2020 - 12:34
Argentina
A Argentina e seus detentores de títulos estrangeiros estão se aproximando de um acordo para reestruturar a dívida soberana (Imagem: Reuters/Carlos Garcia Rawlins)

O presidente argentino, Alberto Fernández, disse nesta quarta-feira que o prazo para as negociações de reestruturação da dívida pública, que deve expirar na sexta-feira, provavelmente será prorrogado por pelo menos dez dias e possivelmente mais, já que o país pretende fechar um acordo com os credores.

Em entrevista à emissora Radio 10, o peronista de centro-esquerda acrescentou que o país, atingido por uma recessão, precisa finalmente chegar a um acordo com os detentores de cerca de 65 bilhões de dólares em dívida externa argentina, embora isso possa levar mais tempo.

“Está claro que a Argentina precisa chegar a um acordo com os credores. Está claro que os credores não aceitaram nossa oferta, e a Argentina vai melhorar sua oferta”, disse Fernández, acrescentando que se encontrará com o ministro da Economia, Martin Guzmán, para discutir detalhes.

Perguntado se o prazo de sexta-feira poderia ser prorrogado novamente, ele disse que será e apontou que uma negociação de reestruturação anterior em 2005 havia levado a maior parte de um ano.

Espera-se que a legalização das apostas esportivas seja muito significativa aos impostos

“Sim (pode ser prorrogado), dez dias ou mais. Não sei. Estamos em negociação”, afirmou.

A Argentina e seus detentores de títulos estrangeiros estão se aproximando de um acordo para reestruturar a dívida soberana, que se tornou insustentável após dois anos seguidos de recessão que aumentou os custos dos empréstimos e fez a moeda local, o peso, despencar.

Alberto Fernández
O peronista de centro-esquerda acrescentou que o país precisa finalmente chegar a um acordo com os detentores de cerca de US$ 65 bilhões (Imagem: Esteban Collazo/Argentina Presidency/Handout via Reuters)

A diferença entre o que a Argentina está disposta a pagar e o que os detentores de títulos estão exigindo diminuiu nos últimos meses, ajudando a impulsionar os títulos do país, que no ano passado operaram sob forte tensão em meio a temores sobre a economia.

Chegar a um acordo é essencial para evitar um confuso impasse legal que poderia bloquear a Argentina dos mercados internacionais por anos depois de o país se tornar inadimplente pela nona vez em maio, quando perdeu o prazo para pagamento de juros de três títulos.

A Argentina também está em negociações com o Fundo Monetário Internacional (FMI), importante credor do país, para renovar uma linha de crédito de 57 bilhões de dólares acertada em 2018 sob o governo anterior de Mauricio Macri.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Lucas Simões - 10/06/2020 - 12:36

Pela Web