Empresas

Goldman Sachs amplia fatia em petroleira brasileira; veja qual

05 jan 2024, 20:17 - atualizado em 05 jan 2024, 20:24
prio-prio3
A operação ocorre duas semanas depois do Goldman ter anunciado redução de participação acionária na empresa (Imagem: Reprodução/Site da Prio)

O Goldman Sachs elevou participação acionária na Prio (PRIO3) para 5,13%, mostra documento enviado ao mercado nesta sexta-feira (5).

Segundo o comunicado, com a operação, o banco passou a deter 45,7 milhões de ações ordinárias da companhia, via posição de derivativos com liquidação financeira.

“Este é um investimento minoritário que não envolve mudança na composição do controle acionário ou na alteração da estrutura administrativa da companhia”, coloca.

A operação ocorre duas semanas depois do Goldman ter anunciado redução de participação acionária na empresa.

Quanto a PRIO produziu em 2023?

Prio chegou a uma produção de 100,3 mil barris de óleo equivalente por dia (boepd) no quarto trimestre de 2023, leve alta em relação ao patamar atingido no terceiro trimestre, mostra a prévia operacional divulgada pela companhia nesta quinta-feira (4).

Só em dezembro, a Prio registrou uma produção de 101,5 mil boepd, de acordo com os números.

Com os dados completos de dezembro, a petroleira atingiu uma produção média diária de 88 mil barris de óleo em 2023.

Veja documento:

Editor-assistente
Formado pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, cobre mercados desde 2018. Ficou entre os 50 jornalistas +Admirados da Imprensa de Economia e Finanças das edições de 2022 e 2023. É editor-assistente do Money Times. Antes, atuou na assessoria de imprensa do Ministério Público do Trabalho e como repórter do portal Suno Notícias, da Suno Research.
Linkedin
Formado pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, cobre mercados desde 2018. Ficou entre os 50 jornalistas +Admirados da Imprensa de Economia e Finanças das edições de 2022 e 2023. É editor-assistente do Money Times. Antes, atuou na assessoria de imprensa do Ministério Público do Trabalho e como repórter do portal Suno Notícias, da Suno Research.
Linkedin