BusinessTimes

Prio (PRIO3): Produção média de petróleo salta quase 50% no 2º trimestre

04 jul 2023, 19:01 - atualizado em 04 jul 2023, 19:14
PRIO, Campo de Frade, PetroRio PRIO
Em junho, a companhia obteve o seu melhor mês, com produção de 95,9 mil barris. Ante maio, a alta é de 10% (Imagem: Divulgação/PRIO)

A produção diária de barris de petróleo equivalente (boepd) da Prio (PRIO3) no segundo trimestre de 2023 subiu 49,23% ante o primeiro trimestre, mostram dados operacionais divulgados nesta terça-feira (4).

Ao todo, a companhia produziu média de 91 mil barris por dia no período, contra 61 mil nos três primeiros meses do ano.

Em junho, a companhia obteve o seu melhor mês, com produção de 95,9 mil barris. Em comparação com maio, a alta é de 10%. Veja na tabela abaixo:

Prio é a favorita

Para o BofA, a Prio é a melhor escola no setor de exploração e produção (E&P). A recente elevação preço-alvo, para R$ 55, reflete o “forte potencial de valorização” dos papéis.

Os analistas do BofA acreditam que, no curto prazo, o estoque da companhia deve se beneficiar do fim da tributação sobre as exportações de petróleo. Além disso, veem potencial vindo do aumento da produção da recém-adquirida Albacora Leste e o start-up do campo Wahoo em 2024.

Em consonância, o Goldman Sachs reitera PRIO3 como a preferida no setor, destacando o bom histórico da companhia.

Por fim, a XP tem PRIO3 como top pick  devido a uma combinação de cinco fatores:

  • (i) excelente histórico de desempenho;
  • (ii) crescimento de Ebtida (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização);
  • (iii) valuation descontado (taxa interna de retorno de 28%, upside de retorno total de 57% para o preço-alvo);
  • (iv) forte geração de fluxo de caixa livre; e
  • (v) potencial de maior consolidação no mercado offshore nos próximos anos.

Editor-assistente
Formado pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, cobre mercados desde 2018. Ficou entre os 50 jornalistas +Admirados da Imprensa de Economia e Finanças das edições de 2022 e 2023. É editor-assistente do Money Times. Antes, atuou na assessoria de imprensa do Ministério Público do Trabalho e como repórter do portal Suno Notícias, da Suno Research.
Linkedin
Formado pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, cobre mercados desde 2018. Ficou entre os 50 jornalistas +Admirados da Imprensa de Economia e Finanças das edições de 2022 e 2023. É editor-assistente do Money Times. Antes, atuou na assessoria de imprensa do Ministério Público do Trabalho e como repórter do portal Suno Notícias, da Suno Research.
Linkedin