Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Coin DTVM

Produtor de arroz começa o ano bem e termina melhor, de preços a safra nova

17/12/2020 - 14:17
Arroz Grãos Agricultura Agronegócio
Ciclo do arroz gaúcho mostra-se favorável, como também de regiões de lavouras irrigadas (Imagem: Reuters/Erik De Castro)

Os arrozeiros têm pouco a reclamar este ano. Começou bem e termina melhor. Os preços do arroz foram remuneradores e a safra nova está com tudo para ser boa novamente.

Agora, calmaria nos negócios. As indústrias estão compradas e o varejo também, só devendo voltar a fazer pedidos em janeiro.

E os preços ao consumidor, que explodiram entre setembro e outubro, também se acomodaram, ao contrário dos do feijão, que está com vazio de oferta.

Do dólar sempre acima dos R$ 5, que impulsionou as exportações – 2020 deve fechar em 1,7 milhão de toneladas, contra previsão inicial de 1,1 milhão – e um consumo interno incrementado pelo isolamento sem a concorrência dos restaurantes, se extraem os ganhos ao longo da temporada.

A Federarroz, que reúne os produtores gaúchos, os principais do Brasil, atribui ainda à menor área plantada, menor apetite de grandes exportadores (China, Índia e Tailândia), que direcionaram mais o produto internamente, e os fornecedores do Mercosul (Paraguai e Argentina) desviando embarques que viriam para cá com a paridade cambial desfavorável.

Depois de várias safras com custos de produção acima dos preços, o orizicultor conseguiu lucros e, em alguns casos, recuperou parte das perdas acumuladas, diz a entidade.

Negócios a R$ 85 a R$ 95 a saca, preços firmemente recuados sobre o pico de outubro, mas também não tem demanda das indústrias, tranquilas neste momento, informa o analista Vlamir Brandalizze.

E, agora, a safra nova está indo bem, com as lavouras praticamente 100% plantadas, e sob um regime de chuvas que propicia bom desenvolvimento, acrescenta ele.

A Federarroz acredita que 2021 pode ser de empate ou ligeira queda de preços, mas pelo menos no início do ano o recuo está garantido.

Além da oferta gaúcha entrando, sem o apelo das restrições iguais ao auge da pandemia, tem também o arroz tocantinense. Brandalizze acredita em boa safra do cereal irrigado, que neste ciclo cresceu para 117 mil hectares.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.
Leia mais sobre: , , ,

Última atualização por Giovanni Lorenzon - 17/12/2020 - 14:52