Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Coin DTVM

Recuperação do comércio sinaliza que globalização está viva

02/12/2020 - 17:50
Exportações Portos Comércio Logística
O que aprendemos é que as cadeias de suprimento são flexíveis e adaptáveis (Imagem: Reuters/Fabian Bimmer)

A pandemia de Covid-19 deveria colocar o último prego no caixão da globalização e provocar um retrocesso rumo a uma nova era de protecionismo. 

Em vez disso, alguns agora chamam a crise de grande acelerador.

A queda no mesmo comércio internacional foi rápida e acentuada durante as primeiras paralisações causadas pelo coronavírus, mas a recuperação impulsionada por estímulos fiscais e monetários de emergência teve quase a força. 

O comércio global encerra o ano em forte retomada.

Após dois anos de guerra tarifária entre Estados Unidos e China, o comércio realizado por meio de grandes redes de fornecedores – o bicho-papão dos defensores do protecionismo – tem atuado como tábua de salvaguarda para consumidores e amortecedor de muitas empresas como Samsonite International e Walgreens Boots Alliance, que estão reforçando suas fontes de produção no exterior, em vez de se aposentar dos mercados globais.

“O que aprendemos é que as cadeias de suprimento são flexíveis e adaptáveis”, disse o economista-chefe da Organização Mundial do Comércio, Robert Koopman, em entrevista. “O comércio é parte da solução.”

Natalie Blyth, responsável global de financiamento de comércio do HSBC, não vê como empresas trazendo como cadeias de suprimentos para seus mercados domésticos como forma de proteção contra novos riscos. Pelo contrário.

Ela avalia que a pandemia está atuando como “grande acelerador” no que diz respeito ao comércio, especialmente com a ajuda da tecnologia, à medida que as empresas fortalecem como bases regionais enquanto visam uma classe média crescente de cerca de três bilhões de consumidores em toda a Ásia.

“O modelo de estoque just-in-time supereficiente e bem adaptado na fase um da Covid. Mas o ‘reshoring’ não é a solução para isso, é a diversificação ”, disse sobre a estratégia de transferir a produção aos países de origem.

No início do ano, a OMC previu que os fluxos de comércio global cair em até 32% , o que teria superado a pior queda da Grande Depressão.

Se os números atuais se mantiverem no quarto trimestre, um projeta da OMC que o comércio global de produtos cairá apenas 9,2% em 2020, o que é menos do que a queda de 12% no comércio global em 2009 no auge da crise financeira.

Em resposta à pandemia, as multinacionais estão desenvolvendo soluções e encontrando novos locais para produzir seus produtos.

Última atualização por André Luiz - 02/12/2020 - 17:50

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.
Cotações Crypto
Pela Web