Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Resultado da Ecorodovias foi fraco como esperado, mas poderia ser pior

30/07/2020 - 16:13
Uma surpresa positiva no trimestre, de acordo com o banco, foi a margem Ebitda de 67% (Imagem: Site/Ecorodovias)

O resultado financeiro da Ecorodovias (ECOR3) foi fraco, como já era esperado, mas poderia ser pior, de acordo com a análise do Credit Suisse.

A empresa registrou crescimento de 47% do lucro líquido recorrente no segundo trimestre de 2020 ante o mesmo período do ano passado, com o valor atingindo R$ 84,2 milhões.

Segundo a Ecorodovias, o desempenho foi influenciado positivamente pelo resultado financeiro devido, principalmente, à receita advinda da variação monetária sobre debêntures, além da menor provisão para a manutenção futura das concessionárias. No entanto, houve efeito negativo por parte do Ebitda pró-forma, que contraiu 9,5% no período, para R$ 430,4 milhões.

A queda do indicador pode ser explicada pela redução do tráfego nas estradas da companhia, que viu o número de veículos encolher 17,4% desde o início da pandemia.

“Do ponto de vista regulatório, embora os resultados tenham sido impactados pelas restrições de mobilidade devido à disseminação da covid-19, os contratos são protegidos por cláusulas contra eventos de força maior. Isso implica que as concessões de rodovias com pedágio provavelmente terão direito a benefícios econômicos e de reequilíbrio”, informou o Credit.

Uma surpresa positiva no trimestre, de acordo com o banco, foi a margem Ebitda de 67%, queda de 2 pontos percentuais. “Do ponto de vista do custo caixa, a empresa conseguiu reduzir as despesas em R$ 12 milhões, R$ 4 milhões para serviços de terceiros e R$ 3,5 milhões para aluguel de imóveis, resultando em uma redução consolidada de -9,4%.

Com isso, o Credit Suisse reforçou sua recomendação Outperform (desempenho acima do mercado), com preço-alvo de R$ 17.

Outras análises

A Ecorodovias superou as expectativas do BTG Pactual (BPAC11) com o balanço do segundo trimestre do ano, divulgado ontem (29). O analista Lucas Marquiori destacou areceita líquida pró-forma do período, que atingiu R$ 647,3 milhões.

O banco também chamou atenção para a resiliência das margens e ao capex de R$ 326 milhões, influenciado pelas obras em novas concessionárias.

O BTG reiterou a recomendação de compra do papel, com preço-alvo para os próximos 12 meses de R$ 17, devido às expectativas sobre as discussões entre a companhia e as autoridades do governo de São Paulo sobre o reequilíbrio do contrato da Ecovia dos Imigrantes.

Confira o resultado completo:

Chegou a nova newsletter Comprar ou Vender

As melhores dicas de investimentos, todos os dias, em seu e-mail!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Vitória Fernandes - 30/07/2020 - 16:13