Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Coin DTVM

Rodrigo Pacheco defende retomar discussões para estender auxílio emergencial

21/01/2021 - 17:23
Rodrigo Pacheco
O que eu tenho dito é que primeiro nós temos de ter responsabilidade fiscal, obediência ao teto de gastos públicos (Imagem: REUTERS/Adriano Machado)

O senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), candidato à Presidência do Senado, disse à Reuters nesta quinta-feira que é necessário retomar a discussão sobre um auxílio aos mais necessitados diante da crise do coronavírus, mas ponderou que tal medida será tomada em conformidade com o teto de gastos e a partir de conversas e negociações com a equipe econômica.

O senador, que tem o apoio do atual presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e do presidente Jair Bolsonaro, admite que o teto pode ser rompido em uma “excepcionalidade absurda”, mas diz que buscará negociar uma “solução matemática” com a equipe econômica para um programa de distribuição de renda ou um “incremento” ao já existente Bolsa Família.

“O que eu tenho dito é que primeiro nós temos de ter responsabilidade fiscal, obediência ao teto de gastos públicos, nós não podemos permitir gastar mais do que temos, essa é uma premissa importante”, disse.

“Agora, existe uma necessidade em decorrência da pandemia, de assistir aquelas pessoas mais vulneráveis”, acrescentou.

“Então o que eu digo é que, observado o teto de gastos e a responsabilidade fiscal, nós vamos ter que estabelecer com o Ministério da Economia um diálogo para que possa encontrar soluções para essa assistência social, seja com algum programa social assemelhado ao auxílio emergencial, seja então com o incremento do Bolsa Família de forma a socorrer essas pessoas em estado de necessidade, mas obviamente observado os critérios técnicos em diálogo pleno com o Ministério da Economia.”

Questionado se o teto de gastos seria intocável, afirmou que “o teto de gastos é importante, tem que ser observada a sua rigidez e somente em último caso, numa excepcionalidade absurda, é que se pode corromper o teto de gastos para poder permitir que se socorra pessoas atingidas pela pandemia”.

Pacheco acrescentou ainda que irá trabalhar, se eleito, para que não haja a necessidade de se romper o teto de gastos.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Renan Dantas - 21/01/2021 - 18:13