Informação independente faz a diferença

Sanepar: CVM e MP vão investigar volatilidade das ações, diz Gazeta do Povo

As ações da Sanepar (SAPR4) passaram por uma forte oscilação na Bolsa durante os últimos meses e, agora, a CVM (Comissão de Valores Mobiliários) e o Ministério Público do Estado do Paraná irão investigar as causas por trás deste sobe-e-desce. A informação foi publicada pelo jornal paranaense Gazeta do Povo.

Após o “re-IPO” em dezembro passado, quando os papéis foram vendidos a R$ 9,50, os ativos da empresa de saneamento do Paraná chegaram a alcançar R$ 15,05 em fevereiro. Uma alta de quase 60%.

Além de ser uma das empresas mais eficientes no controle de custos no setor em todo o país, o desempenho da Sanepar na Bolsa foi influenciado fortemente pela expectativa de uma revisão tarifária positiva para a companhia a ser decidida pela Agepar (Agência Reguladora do Paraná). 

Acontece que os investidores acabaram decepcionados pela proposta inicial: o aumento previsto de 25,6% foi definido em oito anos - esperava-se um ciclo de quatro anos - e com um primeiro reajuste de 5,7%. Foi o suficiente para um tombo de 17,7% no dia 9 de março. Apesar disso, as esperanças do mercado ainda se seguravam em uma possível reavaliação da decisão.

E ela veio. No dia 12 de abril, a Agepar elevou o reajuste inicial para 8,53%, mas manteve o ciclo de revisão de oito anos. Os papéis despencaram outros 6,09%. Com isso, a valorização meteórica de 60% foi reduzida a 13% desde o re-ipo.

A CVM informou, após contato com a reportagem do Money Times, o seguinte: “A CVM acompanha e analisa as informações e movimentações envolvendo as companhias abertas e o mercado bursátil, tomando as medidas cabíveis, quando necessário. A Autarquia não comenta casos específicos, inclusive para não afetar trabalhos de análise ou apuração que entenda necessários”.

Leia também: Forte queda das ações da Sanepar é oportunidade, diz Eleven Financial

* Atualizada às 15h37 com as informações da CVM


Conteúdo Correspondente

Últimas Notícias