Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Vitreo DTVM

Segundo boi mais caro do Brasil, no Pará, está com cara de animal paulista

02/10/2020 - 16:16

 

 

Baixa capacidade de capim não viabiliza volumes de bois, cuja quantidade de cabeças também está mais curta

Do boi paulista encontrando suporte nos R$ 255/256 a @, o segundo boi mais caro brasileiro está no Pará, desconsiderando regiões pecuárias mais pobres.

Estado 100% de boi a pasto, sofre com a ausência de pastos neste rigoroso inverno amazônico e um rebanho encurtado.

Animal acabado no Sul do Estado chegou a ser ofertado a R$ 250 nesta sexta (2), segundo agente de importante frigorífico. Preço com cara de animal paulista.

Pela Scot Consultoria, R$ 1 a menos, em Marabá, a principal praça da região.

Outras praças do Pará também batem o resto do País pecuarista peso-pesado, como Goiás, Mato Grosso, parte de Minas e Mato Grosso do Sul, que costumam sofrer a influência de preços de São Paulo.

Em Redenção e Paragominas, ofertas livres de Funrural a R$ 246,50. Aqui, tem alguma rivalidade com alguns negócios com o boi gordo no Triângulo Mineiro neste último dia da semana.

Os frigoríficos compradores estão disputando bastante a matéria-prima, com o clima agravado pelo custo da reposição e retenção de matrizes já observadas nos últimos dois anos, e seu efeito sendo mais sentido agora pelo ciclo do negócio. A disponibilidade é mais baixa.

E este ano não está havendo disputa pelas exportações de bois vivos, que é um dos fortes da pecuária paraense.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Giovanni Lorenzon - 02/10/2020 - 16:24