Soja: Brasil sai das vendas e especula com as 40/50 milhões de toneladas que restam

11/05/2021 - 11:35
Soja brasileira praticamente só tem um resto no Rio Grande do Sul para ser colhida (Imagem: Antonio Neto)

A soja que resta para ser exportada e negociada no mercado interno virou ativo financeiro nas mãos dos produtores, que aguardam uma definição mais aguda da safra americana em estágio de semeadura atingindo quase 45% da área destinada ao grão.

Restam em 40 a 50 milhões de toneladas não negociadas e que os brasileiros vão esticar ao máximo por melhores preços em Chicago e no mercado interno, acredita o analista Vlamir Brandalizze.

O recorde de 4,7 milhões de toneladas de grãos embarcados na 1ª semana de maio, com receita de US$ 2,1 bilhão, é parte das 90 milhões/t já contratadas antecipadamente. Junto com óleo e farelo, foram US$ 2,4 bilhões.

Nesse cálculo geral, visto por Brandalizze, se subtrai 38,5 milhões/t exportadas no acumulado do ano.

Outro recorde que vai se somando: no mesmo período do ano passado, foram 35 milhões/t.

As condições climáticas da safra americana apontam para uma melhora nos próximos dias. E mesmo considerando o plantio acelerado, mais de 20% acima do ano passado, reforça Brandalizze, os fundamentos de alta persiste.

Oferta grande brasileira – da safra que só resta um pouco no Rio Grande do Sul a ser colhido -, e oferta futura dos Estados Unidos, também elevada, ainda estão abaixo da demanda global, especialmente pela procura elástica chinesa.

 

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado agro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Giovanni Lorenzon - 11/05/2021 - 14:53

Pela Web