BusinessTimes

SpaceX adia lançamento do foguete que irá colonizar Marte; Elon Musk promete nova tentativa daqui a ‘alguns dias’

17 abr 2023, 10:48 - atualizado em 17 abr 2023, 10:48
Starship SpaceX Elon Musk
O foguete é um dos passos dos planos de Musk em colonizar Marte, já que será capaz de transportar 100 pessoas em voos interplanetários de longa duração (Imagem: SpaceX/Youtube)

A SpaceX, empresa do bilionário Elon Musk, adiou o lançamento do foguete mais poderoso para missões em Marte nesta segunda-feira (17). Hoje foi o primeiro teste do foguete, e estava previsto seu lançamento.

Trata-se do primeiro protótipo do Spaceship a ser testado, lançado e aterrisado novamente, caso os testes dos próximos dias sejam um sucesso. Conforme o bilionário, dono da empresa, o problema foi uma válvula de pressurização que parecia estar congelada.

“Aprendi muito hoje, agora descarregando o propulsor, tentando novamente em alguns dias…”, diz Elon Musk em seu perfil do Twitter. A SpaceX também confirma o adiamento em comunicado.

“Afastando-se da tentativa de teste de voo de hoje; a equipe está trabalhando para a próxima oportunidade disponível”, escreve a SapceX no Twitter.

Conheça o Starship; foguete de Elon Musk que vai colonizar Marte

 O foguete Starship tem 120 metros de altura e 9 metros de diâmetro e será lançado da “Starbase”, no Texas.

“A espaçonave Starship da SpaceX e o foguete Super Heavy – coletivamente referidos como Starship – representam um sistema de transporte totalmente reutilizável projetado para transportar tripulação e carga para a órbita da Terra, a Lua, Marte e além”, explica a SpaceX.

O objetivo da empresa de Musk é de transformar o Starship no foguete de lançamento mais poderoso do mundo já desenvolvido, capaz de transportar até 150 toneladas de carga, pessoas, etc ​​e 250 toneladas descartáveis, como cápsulas que ficam pelo espaço após o lançamento.

O foguete é um dos passos dos planos de Musk em colonizar Marte, já que será capaz de transportar 100 pessoas em voos interplanetários de longa duração. O foguete também será capaz de entregar satélites, desenvolver bases lunares e transporte ponto a ponto da Terra.

Repórter do Crypto Times
Jornalista formado pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Repórter do Crypto Times, e autor do livro "2020: O Ano que Não Aconteceu". Escreve sobre criptoativos, tokenização, Web3 e blockchain, além de matérias na editoria de tecnologia, como inteligência artificial, Real Digital e temas semelhantes. Já cobriu eventos como Consensus, LabitConf, Criptorama e Satsconference.
Twitter Linkedin
Jornalista formado pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Repórter do Crypto Times, e autor do livro "2020: O Ano que Não Aconteceu". Escreve sobre criptoativos, tokenização, Web3 e blockchain, além de matérias na editoria de tecnologia, como inteligência artificial, Real Digital e temas semelhantes. Já cobriu eventos como Consensus, LabitConf, Criptorama e Satsconference.
Twitter Linkedin