Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Taesa não desaponta e manterá o pagamento de 92% dos lucros em dividendos

09/07/2020 - 8:55
Taesa Setor Elétrico Empresas
O destaque, sem sombra de dúvidas, é manutenção da política de pagamento de dividendos aos acionistas (Imagem: Facebook/Taesa)

A Taesa (TAEE11) não ostenta por acaso o pódio quanto o assunto são dividendos, já que mesmo em tempos de coronavírus, a elétrica planeja manter sua política de pagamento de dividendos, conforme sinaliza a equipe do BTG Pactual (BPAC11).

Os analistas Filipe Andrade e Guilherme Pimentel relembram que a companhia concluiu no dia 16 de abril uma captação de recursos no valor de R$ 900 milhões, para afanar dívidas de curto prazo e engordar a liquidez de caixa da empresa diante do cenário de incertezas.

“Apesar da pandemia, o governo federal irá comandar um leilão de investimento na casa dos R$ 10 bilhões em dezembro, em que a companhia demonstrou intenção de participar. Apenas com um principal leilão de transmissão no radar em 2020, a Taesa ainda acredita e garimpa oportunidades no setor elétrico“, observam a dupla.

Os analistas também pontuam que os projetos de linhas de transmissão da empresa seguem a todo vapor conforme as projeções, o que garante a empresa uma situação confortável. Todas as obras da Taesa têm o aval da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), mas avançam em ritmo mais vagaroso devido aos efeitos da Covid-19.

O destaque, sem sombra de dúvidas, é manutenção da política de pagamento de dividendos aos acionistas, à medida que a Taesa também garante um caixa sólido.

Em 2019, a elétrica anunciou que distribuirá 92% do lucro na forma de dividendos; além disso, o 1° trimestre de 2020 rendeu um salto de 128% no lucro da companhia.

O BTG Pactual mantém uma recomendação neutra frente as ações da Tesa, já que constata a precificação antecipada aos papéis da empresa.

Chegou a nova newsletter Comprar ou Vender

As melhores dicas de investimentos, todos os dias, em seu e-mail!

Última atualização por Lucas Simões - 10/07/2020 - 13:44